Economia

Economia

Taxas futuras de juros sobem com ajuste a Copom e PIB fica em segundo plano


Os juros futuros se ajustam nesta quinta-feira, 1º de junho, em alta à perspectiva de um corte da Selic menor em julho e com a taxa encerrando o ciclo de afrouxamento em patamar maior, ante 8,5% que vinha sendo previsto antes da decisão. Com isso, ficou em segundo plano a alta do Produto Interno Bruto (PIB) de 1% no primeiro trimestre ante o quarto trimestre de 2016.

Na quarta-feira, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu, por unanimidade, reduzir a Selic (a taxa básica de juros) em 1 ponto porcentual, de 11,25% para 10,25% ao ano. O corte foi o sexto consecutivo.

Comunicado do BC divulgado após a decisão, porém, indica que o ritmo de corte do juro será reduzido já na próxima reunião.

A redução de 1 ponto porcentual da Selic era largamente esperada pelos economistas do mercado financeiro. De um total de 57 instituições consultadas pelo Projeções Broadcast, 47 esperavam corte de 1 ponto porcentual da Selic, oito projetavam diminuição menor, de 0,75 ponto porcentual, e duas mantinham expectativa por redução de 1,25 ponto porcentual.

Às 9h32, o DI para janeiro de 2018 exibia 9,330%, de 9,250% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2019 estava em 9,42%, de 9,30%. Já o DI para janeiro de 2021 marcava 10,34%, de 10,30% no ajuste de quarta.


Selecione sua cidade

Cascavel | Londrina