Tudo que Parlamento puder fazer para valorizar salário deve ser feito, diz Maia

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 16/04/2019 às 13:35

Foto: Agência Brasil

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), abordou com cautela uma possível intervenção do Congresso para forçar o governo a rever a valorização do salário mínimo. "Acho que nós vivemos uma crise fiscal muito grande. Tudo o que o Parlamento puder fazer para valorizar o salário dos brasileiros, a gente precisa fazer. Agora, qualquer encaminhamento populista gera um benefício no curto prazo e um prejuízo no longo prazo", disse.

Maia lembrou o que ocorreu na semana passada com a Petrobras. Depois que o presidente Jair Bolsonaro determinou que a empresa suspendesse o reajuste do preço do diesel, o valor de mercado da companhia recuou R$ 32 bilhões.

"Temos de tomar cuidado que se a gente encaminhar uma valorização do salário mínimo acima das limitações do Orçamento, vamos estar aumentando o déficit público, gerando restrições fiscais e prejudicando o crescimento do Brasil", disse.

"Vamos avaliar a decisão do governo junto com os parlamentares e vamos ter frieza, paciência e equilíbrio para decidir o que é melhor no médio e longo prazos", disse Maia. "Talvez tomar uma decisão divergente do governo no curto prazo possa ser uma decisão correta, mas certamente no longo prazo pode ter impacto negativo e o resultado ser pior do que a proposta pelo governo."



Relacionados

Economia | 20-04-2019 10:30

'O Brasil precisa apressar o passo nas reformas', diz conselheiro de Paulo Guedes

'O Brasil precisa apressar o passo nas reformas', diz conselheiro de Paulo Guedes

Economia | 20-04-2019 09:25

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio estimado de R$ 60 milhões

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio estimado de R$ 60 milhões

Economia | 20-04-2019 08:50

Gigante inglesa SSP abrirá 18 lojas de alimentação em aeroportos brasileiros

Gigante inglesa SSP abrirá 18 lojas de alimentação em aeroportos brasileiros

Economia | 20-04-2019 08:40

Déficit estrutural do setor público chega a 0,7% do PIB em 2018

Déficit estrutural do setor público chega a 0,7% do PIB em 2018