Professores da UEL rejeitam proposta salarial e continuam em greve

Murilo Pajolla
Educação | Publicado em 18/07/2019 às 17:06

Foto: Sindiprol/Aduel

Os professores da UEL decidiram rejeitar a proposta salarial do governo e manter a greve da categoria, deflagrada no dia 2 de julho. A decisão foi tomada em assembleia realizada na tarde desta quinta-feira (18) no campus da Universidade. 

Os docentes e servidores da UEM fizeram uma assembleia unificada nesta quarta-feira (17) e também decidiram permanecer paralisados por não concordarem com a oferta de reposição. Professores da Unespar de Apucarana e da UENP de Jacarezinho farão assembleias com o mesmo tema ainda nesta quinta. 

O governo propôs reajuste de 4,94% referente à inflação de abril de 2018 a maio de 2019, que seria parcelado com pagamento de 2% em janeiro de 2020, 1,5% em janeiro de 2021 e 1,5% em janeiro de 2022.

Já os servidores técnico-administrativos da UEL, em assembleia realizada nesta quarta, optaram por interromper a greve até que a reposição tramitasse na Assembleia Legislativa, assim como os trabalhadores do Hospital Universitário (HU). 

Os professores da rede estadual suspenderam a paralisação no último sábado (13). 



Relacionados

Educação | 05-12-2019 10:11

Secretaria de Educação do Paraná emite nota sobre paralisação

Secretaria de Educação do Paraná emite nota sobre paralisação

Londrina | 04-12-2019 16:16

Servidores da UEL saem da greve, mas não descartam retomar paralisação

Servidores da UEL saem da greve, mas não descartam retomar paralisação

Londrina | 04-12-2019 15:33

Professores da UEL fazem assembleia e decidem permanecer em greve

Professores da UEL fazem assembleia e decidem permanecer em greve

Londrina | 04-12-2019 15:22

Unopar demite 60 profissionais e fecha unidade do Boulevard, diz Sinpro

Unopar demite 60 profissionais e fecha unidade do Boulevard, diz Sinpro