Educação

Educação

Secretaria de Educação calcula um assalto a cada dois dias nas instituições


Educação calcula um assalto a cada dois dias nas instituições
Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Walter Okano. Foto: Valdemar Loredo/TV Tarobá

A onda de assaltos a escolas públicas em Londrina preocupa professores. Somente no início desta semana, três unidades foram invadidas. A Secretaria de Educação calcula um assalto a cada dois dias e estuda a criação de um fundo municipal para socorrer as instituições.

Quando a equipe do projeto de futsal chegou a quadra, faltavam dois refletores de LED. Prejuízo de R$ 100 para a Escola Municipal Ruth Lemos, no Conjunto Luiz de Sá, zona norte de Londrina. Os ladrões entraram pelos fundos, escalaram o alambrado e cortaram as grades que protegiam os equipamentos.

"Foi coisa encomendada para levar dois refletores. A gente fica imaginando para quê eles vão querer dois refletores. Tudo o que nós fazemos, fazemos para a comunidade e para os alunos", afirma a diretora, Ivanete da silva Teixeira".

No Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Walter Okano, ao lado da rodoviária, os ladrões arrombaram portas e furtaram televisores, dvds e até um ventilador, que havia sido doado pela avó de um aluno. Alguns pais emprestaram equipamentos para que as professoras seguissem com as atividades, mas ainda foi preciso repor as portas e limpar as salas porque os bandidos urinaram no chão.

No outro dia de manhã, as crianças vieram para a aula e se depararam com o xixi. Precisamos esperar as meninas da limpeza. Fizemos uma festa tão linda na tarde de sábado para a comunidade e aí na segunda, mais um roubo", comenta a professores, Giely Fernandes Barcelos.

É a sétima vez neste ano que o centro é assaltado. Os ladrões começaram furtando alimentos da cozinha. A segurança na área foi reforçada e eles passaram a arrombar as salas de aula.

Neste fim de semana a Guarda Municipal flagrou parte da ação pela câmera de vigilância e conseguiu pegar um ladrão. os outros fugiram com objetos. Os servidores estão trabalhando atrás das grades e com medo de assaltos. "Está difícil porque a gente não sabe o que vai acontecer", lamenta Giely Fernandes Barcelos.

No fim de semana passado outras duas escolas foram invadidas. A secretaria de educação calcula um assalto a cada dois dias, em média. e estuda a criação de um fundo municipal para socorrer as instituições. "Assim como existe um programa do governo federal que repassa dinheiro para as escolas, a gente está estruturando um trabalho em Londrina para que o próprio município faça isso com recurso que gente recebe para a educação", comenta a Secretária de Educação, Maria Thereza.

Houve um assalto no colégio estadual tsruro Oguido , xona oeste, também nesta semana. um bandido armado rendeu professores durante o horario de aula. ele roubou vários objetos e fugiu em uma bicicleta.

(Com Lívia de Oliveira)


Selecione sua cidade

Cascavel | Londrina