Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Três cursos de graduação da UEL terão mudanças no formato de ingresso no Vestibular 2023

12/09/22 às 17:36 - Escrito por Redação Tarobá News

Os cursos de Ciências Biológicas, Geografia e Educação Física da UEL terão mudanças no formato de entrada a partir do próximo ano. Aprovadas pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe), a modificação será aplicada no Vestibular 2023, que está com inscrições abertas até 10 de outubro.


Para Ciências Biológicas e Geografia, foi definida a separação entre as modalidades de licenciatura e bacharelado. Anteriormente, era apenas uma entrada e durante o curso os estudantes podiam optar. No curso de Ciências Biológicas, a escolha era na matrícula para o 3° ano. Já no curso de Geografia, a opção era na renovação de matrícula para o 2º semestre. Com a mudança, os candidatos já deverão escolher o percurso formativo no formulário de inscrição do Vestibular. O curso de Educação Física fez o caminho inverso. Bacharelado e Licenciatura eram separados e, a partir deste Vestibular, será apenas uma entrada, com a escolha da modalidade na matrícula para o 3° ano.


Segundo a pró-reitora de Graduação (Prograd), Ana Márcia Carvalho, todas essas mudanças vão ao encontro das normativas legais vigentes, como também seguem às Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs), do Ministério da Educação, que rege os cursos do País. 


Licenciatura ou Bacharelado

A UEL possui atualmente 15 cursos de licenciatura e 37 de bacharelado. Mas, qual a diferença entre eles? Ana Márcia Carvalho explica que são modalidades diferentes para perfis profissionais diferentes. 


Na licenciatura, o profissional sai apto a ser professor da Educação Básica. Todos os licenciados podem atuar nos níveis Fundamental e Médio e os formados em Pedagogia também podem atuar na Educação Infantil e Anos Iniciais, além da Gestão Escolar. Já no bacharelado, é formado um profissional voltado para o mercado de trabalho. Em qualquer modalidade, os concluintes podem continuar os estudos em uma pós-graduação. 


“Não cabe comparação no sentido de ser um melhor que o outro, porque são perfis formativos diferentes com finalidades distintas”, defende a pró-reitora de Graduação. A lista completa de todos os cursos de graduação pode ser conferida na página da Feira das Profissões da UEL.


Ciências Biológicas

Com a mudança, o curso de Ciências Biológicas ampliou 20 vagas – de 60 para 80. A licenciatura terá 40 vagas e será oferecida no período matutino. Já o bacharelado continua integral e com 40 vagas anuais. A duração mínima do curso é de 4 anos.


Essa reformulação vem da imposição de regulações federais e estaduais, como as Novas Diretrizes Nacionais dos Cursos de Licenciaturas (Resolução CNE/CP Nº 2/2019), como bem lembra o coordenador do colegiado do curso de Ciências Biológicas, Weliton José Silva, do Departamento de Biologia Animal e Vegetal, do Centro de Ciências Biológicas (CCB).


Ele avalia que a separação pode trazer uma melhor definição para cada um dos percursos formativos. “Essa reformulação resultará num arranjo que permitirá aprofundamento maior dos conteúdos específicos de Ciências Biológicas, no bacharelado, e de formação com ênfase maior nos processos de ensino e aprendizagem no conteúdo de Ciência e Biologia, na licenciatura”, afirma.


Antes da modificação, os estudantes faziam uma das habilitações e, após a conclusão do curso, podiam fazer por mais um ou dois anos a outra. Com o novo modelo, se os estudantes desejarem fazer outra habilitação, vão precisar prestar um novo Vestibular. Com isso, poderão requerer o aproveitamento de disciplinas e terminar a outra habilitação em dois anos.


Geografia

O curso de Geografia mantém a oferta de 80 vagas anuais. A licenciatura terá 40 delas, com oferta no período noturno. O bacharelado será matutino também com 40 vagas. A duração mínima é de 4 anos.

Para o coordenador de colegiado do curso de Geografia e professor do Departamento de Geografia, do Centro de Ciências Exatas (CCE), Ricardo Lopes Fonseca, a principal mudança é a de cultura. Ele explica que, anteriormente, os estudantes faziam algumas disciplinas no início do processo de formação, as quais mostravam a diferença entre cada uma das habilitações como forma de preparação para a escolha no 2° semestre.


Além disso, no último ano do curso, eles também podiam optar por continuar o estudo e fazer mais um ano ou dois anos em outra modalidade. “Com essa mudança, ele entra por outro vestibular ou como portador de diploma de ensino superior”, explica o professor.  


Educação Física

Pela Legislação 06/2018, da Diretriz Curricular Nacional (DCN) dos cursos de graduação em Educação Física, todos os cursos do país passaram por mudanças. A partir do Vestibular 2023, a UEL ofertará somente uma opção de entrada para os candidatos. Com isso, serão 90 vagas para o período matutino e outras 90 para o noturno.


Segundo Larissa Bobroff Daros, coordenadora do colegiado do curso de Educação Física e professora de Ciências do Esporte, do Centro de Educação Física e do Esporte (Cefe), um problema identificado anteriormente pelos professores é que os estudantes entravam no curso sem saber ao certo a diferença entre as habilitações. “Ele entrava em um e queria fazer o outro”, relata.


Na prática, houve alteração da grade curricular da Educação Física, com disciplinas que atendem bacharelado e licenciatura. Elas passam a ser semestrais e a escolha pela habilitação ocorre no final do 2° ano ou 6° período. “Agora eles vão poder fazer a opção com mais conhecimento”, afirma. 


Larissa Daros lembra também que, enquanto não terminar todas as disciplinas e cumprir toda a carga horária do primeiro e do segundo ano, os estudantes não conseguem prosseguir para a escolha da modalidade. O curso tem duração de 4 anos e, após a conclusão da graduação, os estudantes podem retornar e fazer mais dois anos para ter as duas habilitações.

© Copyright 2022 Grupo Tarobá