Tribo indígena emociona alunos da EJA em Londrina

Redação Tarobá News
Educação | Publicado em 16/06/2017 às 11:00

Uma dança que mostra a diversidade entre os povos e agrada aos olhos de quem assiste. Com um canto afinado, pés descalços e uma marcha sincronizada, os índios da Terra Indígena Apucaraninha se apresentaram para os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA).  EVENTO FOI na Escola Municipal David Dequech, localizada no Parque Ouro Verde, zona norte de Londrina. A apresentação faz parte do projeto “Cultura e Indígena” desenvolvido em parceria com a escola Senador Gaspar Velloso e com o apoio da Secretaria Municipal de Educação.

https://www.youtube.com/watch?v=6PDo_WZ0GII

Os alunos da EJA aprenderam por dois meses sobre a cultura dos índios. Desenvolveram trabalhos artísticos, abordaram o assunto nas disciplinas de português, matemática e expuseram as atividades nas paredes da escola.

Os estudantes saíram das salas de aulas e foram até Apucaraninha visitar os indígenas da tribo kaingáng, que pertence ao município de Tamarana, onde fizeram pesquisas e entrevistas. “A Secretaria de Educação disponibilizou um ônibus. Lá os estudantes conheceram mais sobre a cultura, viram costumes da tribo, aprenderam como é a aldeia e observaram como é o dia a dia deles. Nós fomos muito bem recebidos”, relata a professora e coordenadora do projeto, Solange Peres Ruiz.

Alunos visitam a tribo. Foto: Robertson SouzaAlunos visitam a tribo. Foto: Robertson Souza 

A atividade mostra a importância de desenvolver um trabalho cultural com os jovens. A visita à aldeia levou aproximadamente 20 alunos, incluindo estudantes da EJA das escolas Eurides Cunha e Nina Gardemann.

No David Dequech, os índios retribuíram o carinho e mostraram rituais para toda a comunidade escolar, que arrecadou alimentos e roupas para a tribo Kaingáng. A noite de frio foi aquecida pela dança apresentada por aproximadamente 50 índios e a união que vai além de qualquer diferença existente entre as duas culturas. “As professoras e até a igreja doaram alimentos e as merendeiras fizeram um jantar voluntário para receber eles. Foi tudo muito lindo e mobilizou muita gente”, afirma a professora.

Ainda de acordo com Solange, o contato com hábitos e costumes diferentes permite ampliar a visão dos estudantes. “O projeto promove a diversidade sobre o indígena, que é discriminado e não tem o apoio da sociedade. Por isso que trabalhamos com aulas de campo para voltarmos a atenção para os acontecimentos do nosso país.”

Para a diretora, a apresentação fechou com “chave de ouro” todo o trabalho desenvolvido. “O projeto superou nossas expectativas porque foi além dos muros da escola. Os alunos traçaram um paralelo e agora tiveram outros olhares sobre os índios que precisam ser respeitados”, comenta Suzana Martins Ribeiro que ainda ressalta a ação dos profissionais envolvidos. “Os professores são nossos maiores guerreiros porque se não fosse eles nada teria acontecido”, elogia.

Ao final da dança, a tribo cantou “sou brasileiro com muito orgulho e com muito amor” e emocionou quem estava presente.

https://www.youtube.com/watch?v=arQ53QeUVMs

(Sthefany Terlera/TV Tarobá)



Relacionados

Educação | 18-05-2018 17:32

Enem já tem mais de 6 milhões de inscritos; prazo termina nesta sexta

Enem já tem mais de 6 milhões de inscritos; prazo termina nesta sexta

Educação | 18-05-2018 16:01

Educação firma parceria para formação continuada com a Univel

Educação firma parceria para formação continuada com a Univel

Educação | 18-05-2018 16:00

Obras da Escola Ademir Correa seguem a todo vapor em Cascavel

Obras da Escola Ademir Correa seguem a todo vapor em Cascavel

Educação | 18-05-2018 11:20

Apenas 68,4% dos jovens de 15 a 17 anos estão no ensino médio, diz IBGE

Apenas 68,4% dos jovens de 15 a 17 anos estão no ensino médio, diz IBGE