Brasil e Equador fazem acordo para trocar informações sobre Odebrecht

Redação Tarobá News
Mundo | Publicado em 01/06/2017 às 16:15

Promotores do Brasil e do Equador firmaram um acordo de cooperação para trocar informações sobre as investigações da Odebrecht, que é acusada de subornar agentes de governos de dez países do das Américas e da África em troca de contratos de obras públicas.

Carlos Baca, o promotor-geral do Equador, se encontrou em Brasília com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Eles assinaram o acordo, que também prevê a formação de uma equipe conjunta para estudar os documentos e delações obtidos pelas autoridades brasileiras. A Odebrecht também prometeu entregar documentos relativos aos contratos no país.

Executivos da companhia sinalizaram ter repassado US$ 33,5 milhões de dólares a funcionários públicos no Equador para vencer licitações locais, mas ainda não disseram a quem foram pagos os subornos. Até o momento, o único detido no país é o ex-ministro de Energia e Eletricidade, Alecksey Mosquera, além de um empresário que teria atuado como laranja do negócio.

A promotoria equatoriana revisa 30 contratos firmados entre a empreiteira brasileira e o governo em Quito entre 1980 e 2015. Somente no governo do ex-presidente Rafael Correa, as obras vencidas pela Odebrecht somaram US$ 1,6 bilhão. Fonte: Associated Press.



Relacionados

Mundo | 06-10-2018 11:55

Governo da Indonésia considera transformar áreas devastadas em valas comuns

Governo da Indonésia considera transformar áreas devastadas em valas comuns

Mundo | 06-10-2018 11:20

Nos EUA, criança de 2 anos põe mais de US$ 1.000 em triturador de papel

Nos EUA, criança de 2 anos põe mais de US$ 1.000 em triturador de papel

Mundo | 05-10-2018 16:25

Chefe da Interpol teria sido levado à China pelo Partido Comunista, diz jornal

Chefe da Interpol teria sido levado à China pelo Partido Comunista, diz jornal

Mundo | 05-10-2018 16:10

Nas Filipinas, porta-voz pede a Duterte que revele seu estado de saúde

Nas Filipinas, porta-voz pede a Duterte que revele seu estado de saúde