Eleição no país vizinho reflete na fronteira com o Brasil

Redação Tarobá News
Mundo | Publicado em 13/08/2019 às 19:14

A prévia das eleições argentinas foi criada por lei em 2009 e serviria pra que os eleitores pudessem escolher o melhor candidato dentro da mesma chapa. Acontece que dessa vez não houve concorrência interna, e a previa serviu mais como uma espécie de pesquisa eleitoral.

Alberto Fernández, candidato opositor que tem Cristina Kirchner como vice na chapa, teve mais de 47% dos votos – para vencer as eleições no primeiro turno, em outubro, ele precisará de 45%. Maurício Macri, atual presidente e candidato a reeleição, terminou com 32% dos votos. Esse resultado teve repercussão na economia. O dólar subiu, e o peso (moeda local Argentina) despencou. Macri afirmou que esse reflexo é porque os opositores não inspiram confiança no mercado. Esse comerciante concorda, diz que o país precisa olhar pra frente, e não voltar ao passado.

Enquanto a maioria da população argentina sofre com a desvalorização da moeda, a realidade em cidades de fronteira é diferente. 


Reportagem Giulianne Kuiava



Relacionados

Mundo | 09-07-2020 07:20

Brasil não tem status especial, diz secretário de Estado dos EUA

Brasil não tem status especial, diz secretário de Estado dos EUA

Mundo | 08-07-2020 20:53

EUA chegam a 3 milhões de casos de covid-19, diz Johns Hopkins

EUA chegam a 3 milhões de casos de covid-19, diz Johns Hopkins

Mundo | 08-07-2020 19:00

Trump e Obrador assinam declaração conjunta de cooperação entre EUA e México

Trump e Obrador assinam declaração conjunta de cooperação entre EUA e México

Mundo | 08-07-2020 13:50

Pompeo diz que China não é transparente e deve ser responsabilizada por covid-19

Pompeo diz que China não é transparente e deve ser responsabilizada por covid-19

PUBLICIDADE