Esposa de policial que assassinou George Floyd pede divórcio, diz CNN

Estadão Conteúdo
Mundo | Publicado em 30/05/2020 às 10:20

Um dos advogados de Kellie Chauvin, esposa do policial Derek Chauvin, abriu um processo de divórcio, de acordo com um comunicado do escritório de direito da família, informou a CNN americana. Na sexta-feira, 29, o agente foi preso e acusado de homicídio culposo pela morte de George Floyd, em Minneapolis, nos Estados Unidos.

"Hoje à noite conversei com Kellie Chauvin e sua família. Ela está arrasada com a morte de Floyd e sua maior consternação está com sua família, com seus entes queridos e com todos que estão sofrendo com essa tragédia. Ela pediu a dissolução de seu casamento com Derek Chauvin", afirmou o comunicado.

Ainda segundo o advogado, embora Chauvin não tenha filhos de seu casamento atual, Kellie pediu respeitosamente que os filhos dela, seus pais idosos e sua família recebam segurança e privacidade "durante esse período difícil".

Derek Chauvin foi preso na sexta-feira e acusado de assassinato em terceiro grau de morte imprudente pela morte de George Floyd. Segundo a legislação do Estado de Minnesota, o assassinato de terceiro grau é aquele em que a morte é causada de maneira não intencional, por um ato eminentemente perigoso. A pena para o crime é de até 25 anos de prisão.

O policial aparece em um vídeo ajoelhando sobre o pescoço de Floyd, que está algemado e morre após a abordagem.



Relacionados

Mundo | 04-07-2020 07:49

Trump promove festa da independência dos EUA em meio a recorde de casos

Trump promove festa da independência dos EUA em meio a recorde de casos

Mundo | 03-07-2020 11:36

América Latina e Caribe superam Europa em casos de coronavírus

América Latina e Caribe superam Europa em casos de coronavírus

Mundo | 03-07-2020 11:11

Nos EUA, jovens fazem festa e dão prêmio para quem pegar covid-19

Nos EUA, jovens fazem festa e dão prêmio para quem pegar covid-19

Mundo | 03-07-2020 10:35

UE autoriza uso do antiviral remdesivir contra coronavírus

UE autoriza uso do antiviral remdesivir contra coronavírus