Ex-diretor do FBI deve testemunhar no Senado dos EUA talvez já na próxima semana

Redação Tarobá News
Mundo | Publicado em 31/05/2017 às 16:40

O ex-diretor da Agência Federal de Investigação (FBI, na sigla em inglês), James Comey, planeja prestar testemunho público ao Senado americano talvez já na semana que vem. Será a primeira vez que Comey falará em público após sua inesperada demissão pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em 9 de maio.

O presidente teria pressionado Comey a encerrar as investigações sobre uma possível interferência russa nas últimas eleições presidenciais dos Estado Unidos. O então diretor do FBI escreveu um memorando no qual disse que Trump lhe pediu que arquivasse uma investigação contra o ex-assessor de segurança nacional Michael Flynn, segundo pessoas que viram o documento. Trump tem negado qualquer pedido a Comey para abandonar a investigação sobre Flynn, investigado por potenciais violações legais ao não informar totalmente sobre trabalhos anteriores para uma potência estrangeira.

Ainda não há data oficial para o testemunho, mas segundo fontes próximas a Comey ele pode ocorrer de 8 de junho em diante. O ex-diretor do FBI já tinha afirmado que irá se apresentar ao Comitê de Inteligência do Senado após o dia 29 de maio.

O Comitê de Inteligência do Senado e outros órgãos do Congresso americano investigam eventual conluio de membros da campanha de Trump à presidência com a Rússia para interferir nas eleições do ano passado. Fonte: Dow Jones Newswires.



Relacionados

Mundo | 21-09-2018 12:10

Três bebês e dois adultos são esfaqueados em creche de Nova York

Três bebês e dois adultos são esfaqueados em creche de Nova York

Mundo | 21-09-2018 11:00

Ao menos 100 morreram após naufrágio de balsa na Tanzânia

Ao menos 100 morreram após naufrágio de balsa na Tanzânia

Mundo | 21-09-2018 10:10

Temendo intervenção, Maduro evita termo 'crise humanitária'

Temendo intervenção, Maduro evita termo 'crise humanitária'

Mundo | 21-09-2018 09:55

Nos EUA, procurador interroga ex-advogado de Trump

Nos EUA, procurador interroga ex-advogado de Trump