Foxconn vai investir US$ 10 bilhões para construir fábrica nos EUA

Estadão Conteúdo
Mundo | Publicado em 26/07/2017 às 19:10

O grupo Foxconn anunciou há pouco, em cerimônia na Casa Branca, que irá investir US$ 10 bilhões nos próximos quatro anos para construir uma fábrica de painéis de LED no Estado de Wisconsin, nos Estados Unidos. Estima-se que sejam criados no mínimo 3 mil empregos, com potencial para chegar a até 13 mil. O anúncio foi feito pelo presidente da companhia, Terry Gou, e pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

A nova fábrica será construída no sudeste de Wisconsin e seus painéis de LED serão utilizados em televisores, carros, aeronaves. Também estarão nas áreas de educação, entretenimento, saúde, segurança, entre outras. A Foxconn é uma das principais fabricantes dos produtos da Apple.

Trump aproveitou o evento para exaltar as conquistas de sua administração até o momento e disse que, se não tivesse sido eleito, a Foxconn "definitivamente" não teria gasto US$ 10 bilhões. "Gou tem um laço real com o nosso governo e com os EUA", afirmou.

O presidente destacou também a necessidade de seguir com sua agenda pró-crescimento, que inclui a revogação e substituição do Obamacare. "Precisamos aprovar a reforma na saúde, pessoal", apelo. O Senado está discutindo a reforma na saúde nesta semana. (Flavia Alemi - flavia.alemi@estadao.com)



Relacionados

Mundo | 15-08-2018 10:05

Número de mortos em queda de ponte na Itália chega a 39

Número de mortos em queda de ponte na Itália chega a 39

Mundo | 15-08-2018 09:30

Governo da Turquia diz estar "muito desapontado" com postura de EUA sobre pastor

Governo da Turquia diz estar "muito desapontado" com postura de EUA sobre pastor

Mundo | 15-08-2018 02:25

Turquia impõe tarifas a determinados produtos importados dos Estados Unidos

Turquia impõe tarifas a determinados produtos importados dos Estados Unidos

Mundo | 14-08-2018 21:30

2,3 milhões de pessoas deixaram Venezuela desde junho fugindo da crise, diz ONU

2,3 milhões de pessoas deixaram Venezuela desde junho fugindo da crise, diz ONU

PUBLICIDADE