Mike Pence se encontrará com presidente da Colômbia

Estadão Conteúdo
Mundo | Publicado em 13/08/2017 às 10:25

Foto: U.S. Navy

A visita do vice-presidente dos Estados Unidos Mike Pence à América Latina ocorre em meio à inquietação na Venezuela e à preocupação de países vimzinhos sobre uma possível intervenção militar. Pence planejou se encontrar com o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, mais tarde neste domingo, no início de uma viagem de uma semana que possivelmente será dominada por conversas sobre a crise na Venezuela. Os Estados Unidos acusam o presidente venezuelano Nicolás Maduro de provocar protestos mortais na região.

O presidente Donald Trump disse na sexta-feira que não descarta uma alternativa "militar", em resposta aos movimentos de Maduro.

Essa declaração provocou uma rápida condenação, inclusive do Ministério de Relações Exteriores da Colômbia, que se opôs a quaisquer medidas militares e ao uso da força, defendendo que os esforços para ajudar a Venezuela devem ser pacíficos e respeitar a soberania. Pence também visitará Argentina, Chile e Panamá.

Na Colômbia, Pence deve abordar os temas do comércio, investimento empresarial e dos laços entre as nações, incluindo o apoio dos EUA aos esforços de Bogotá para implementar seu acordo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia. Os americanos também provavelmente buscarão garantias de que a Colômbia está levando a questão da produção de drogas.



Relacionados

Mundo | 23-01-2019 06:37

Ex-premiê Yulia Timoshenko anuncia candidatura à presidência do país

Ex-premiê Yulia Timoshenko anuncia candidatura à presidência do país

Mundo | 23-01-2019 06:37

Israel exige retirada de iranianos da Síria

Israel exige retirada de iranianos da Síria

Mundo | 22-01-2019 22:30

Maduro ordena análise de relação com EUA após ser chamado de 'ditador' por Pence

Maduro ordena análise de relação com EUA após ser chamado de 'ditador' por Pence

Mundo | 22-01-2019 22:20

Itália acirra tensões com a França ao dizer que Macron é 'péssimo presidente'

Itália acirra tensões com a França ao dizer que Macron é 'péssimo presidente'