Pelosi diz que laço com Israel pode resistir à 'fraqueza' de Trump e Netanyahu

Estadão Conteúdo
Mundo | Publicado em 17/08/2019 às 08:45

A presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, afirmou em entrevista à Associated Press que o relacionamento entre Israel e os americanos pode resistir à "fraqueza" do presidente Donald Trump e do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. O israelense abalou as normas diplomáticas nesta semana ao impedir que dois membros do Congresso americano visitassem Israel.

"Temos um relacionamento profundo e de longa data com Israel que pode resistir a Donald Trump e a Benjamin Netanyahu", disse. "Nós não podemos deixar suas fraquezas ficarem no caminho do nosso relacionamento em curso".

Ela disse que o compromisso dos EUA com Israel não depende de nenhum dos líderes, um sinal de que pode não haver consequências duradouras no incidente desta semana, particularmente em termos de ajuda externa, que deve ser aprovada pelo Congresso.

Em uma jogada extraordinária, Netanyahu, com um empurrão de Trump, impediu a entrada dos representantes democratas Rashida Tlaib (Michigan) e Ilhan Omar (Minnesota) antes de sua visita planejada. Trump põe os congressistas entre seus principais adversários - parte do "esquadrão" de parlamentares liberais recém-eleitos - e os descreve como o rosto do Partido Democrata. Fonte: Associated Press.



Relacionados

Mundo | 22-02-2020 15:00

Passageira de navio que passou por quarentena no Japão está com coronavírus

Passageira de navio que passou por quarentena no Japão está com coronavírus

Mundo | 22-02-2020 10:30

Irã registra quinta morte por coronavírus e tem 23 pessoas infectadas

Irã registra quinta morte por coronavírus e tem 23 pessoas infectadas

Mundo | 22-02-2020 10:00

EUA e Taleban iniciam trégua em esforço para acabar com guerra no Afeganistão

EUA e Taleban iniciam trégua em esforço para acabar com guerra no Afeganistão

Mundo | 22-02-2020 10:00

Itália tem segunda morte por coronavírus e cidades fecham escolas e comércio

Itália tem segunda morte por coronavírus e cidades fecham escolas e comércio