Polícia de Hong Kong foge de ataque de estudantes

Estadão Conteúdo
Mundo | Publicado em 18/11/2019 às 09:10

A polícia de Hong Kong invadiu nesta segunda-feira, 18 (noite de domingo pelo horário de Brasília) brevemente o câmpus da Universidade Politécnica na área de Kowloon que tinha sido ocupado por manifestantes contrários ao governo, jogando bombas de gás lacrimogêneo contra os estudantes que tentavam escapar e fazendo prisões. Mas teve de recuar quando os estudantes atearam fogo a uma barricada e lançaram coquetéis molotov.

Muitos estudantes escalaram as grades da universidade para entrar novamente e não serem presos. Momentos antes, o diretor da universidade, Jin-Guang Teng, tinha dito aos manifestantes que a polícia tinha concordado em suspender o uso da força após uma noite de confrontos, nos quais os jovens usaram coquetéis molotov e até flechas, que acabaram ferindo um agente na perna.

A polícia ameaçou responder com munição real se manifestantes continuassem usando armas letais e cometessem outros atos de violência. A corporação divulgou no domingo uma nota pedindo aos manifestantes que parem de usar armas letais para atacar policiais.

Um veículo blindado da polícia foi incendiado por coquetéis molotov quando tentava liberar o acesso a uma ponte ocupada por militantes perto da universidade. As forças de segurança usaram jatos d'água e gás lacrimogêneo contra os manifestantes.

Desde junho Hong Kong é cenário de um movimento sem precedentes contra a interferência de Pequim no território semiautônomo de 7,5 milhões de habitantes. A crise entrou em uma nova fase esta semana, mais radical, com a adoção pelos manifestantes de uma estratégia que consiste em multiplicar os bloqueios e os atos de vandalismo, com o objetivo de testar a capacidade da polícia.

A mobilização pró-democracia começou em junho com a rejeição a um projeto de lei que autorizaria extradições à China. O texto foi retirado em setembro, mas os manifestantes ampliaram suas reivindicações, que incluem o sufrágio universal. (Com agências internacionais)

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Relacionados

Mundo | 09-07-2020 07:20

Brasil não tem status especial, diz secretário de Estado dos EUA

Brasil não tem status especial, diz secretário de Estado dos EUA

Mundo | 08-07-2020 20:53

EUA chegam a 3 milhões de casos de covid-19, diz Johns Hopkins

EUA chegam a 3 milhões de casos de covid-19, diz Johns Hopkins

Mundo | 08-07-2020 19:00

Trump e Obrador assinam declaração conjunta de cooperação entre EUA e México

Trump e Obrador assinam declaração conjunta de cooperação entre EUA e México

Mundo | 08-07-2020 13:50

Pompeo diz que China não é transparente e deve ser responsabilizada por covid-19

Pompeo diz que China não é transparente e deve ser responsabilizada por covid-19

PUBLICIDADE