Procuradora-geral da Venezuela questiona decisão da Justiça sobre Constituinte

Redação Tarobá News
Mundo | Publicado em 01/06/2017 às 19:05

A procuradora-geral da Venezuela, Luisa Ortega Díaz, questionou a decisão do Supremo Tribunal de Justiça do país de permitir a convocação de uma Assembleia Constituinte sem a realização de referendo popular, como defende o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, e outras figuras de governo.

Para a procuradora-geral, a sentença é "um retrocesso" em relação aos direitos humanos. Ela já havia declarado que duas sentenças do Tribunal, controlado pela oposição, representavam uma "ruptura" da ordem constitucional. O processo de redação da nova Constituição, liderado pelo presidente, vem sendo criticado pela oposição, que o acusa de tentar dar um "golpe de Estado", e de impor uma "fraude constitucional".

Desde abril, quando a reforma constitucional foi proposta, há uma escalada da violência na Venezuela, com ao menos 60 mortos e mais de mil feridos. A oposição ao governo de Maduro estima que haja várias centenas de detidos. Fonte: Associated Press



Relacionados

Mundo | 14-07-2018 18:25

O preço da gasolina derrubou o primeiro-ministro do Haiti

O preço da gasolina derrubou o primeiro-ministro do Haiti

Mundo | 14-07-2018 16:25

Cuba deve ter premiê e mais direitos à propriedade privada

Cuba deve ter premiê e mais direitos à propriedade privada

Mundo | 14-07-2018 14:55

Declarações de Trump sobre imigração e cultura na Europa despertam ira

Declarações de Trump sobre imigração e cultura na Europa despertam ira

Mundo | 14-07-2018 09:55

Escócia: milhares protestam na capital contra o presidente dos EUA, Donald Trump

Escócia: milhares protestam na capital contra o presidente dos EUA, Donald Trump

PUBLICIDADE