Putin diz que alegações de interferência nas eleições dos EUA são 'ficção'

Redação Tarobá News
Mundo | Publicado em 30/05/2017 às 17:51

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta terça-feira que as alegações de que houve uma interferência russa nas eleições presidenciais dos Estados Unidos no ano passado são "ficção" inventada pelos democratas para explicar sua derrota.

Em uma entrevista ao jornal francês Le Figaro, Putin reafirmou sua forte negação do envolvimento russo em e-mails hackeados da campanha democrata. A entrevista foi realizada durante a visita de Putin ao presidente francês, Emmanuel Macron, na segunda-feira e publicada hoje.

Putin afirmou que as reivindicações de uma possível interferência russa nas eleições são impulsionadas pelo "desejo daqueles que perderam as eleições americanas para melhorar sua posição, acusando a Rússia por uma intromissão". Ele acrescentou que "pessoas que perderam a eleição odeiam reconhecer que realmente perderam porque a pessoa que ganhou estava mais próxima da população e tinha uma melhor compreensão do que as pessoas queriam".

O presidente da Rússia também negou que Moscou tenha interferido nas eleições francesas, e disse que não há provas de que o governo de Bashar al Assad tenha usado armas químicas na Síria. "Na minha opinião, as acusações foram feitas com o único propósito de justificar o uso de medidas adicionais, inclusive militares, contra Assad. Isso é tudo", disse Putin.



Relacionados

Mundo | 25-06-2019 08:05

Erdogan diz que 'não recuará' na compra de mísseis russos

Erdogan diz que 'não recuará' na compra de mísseis russos

Mundo | 24-06-2019 20:05

Julgamento de extradição de turco exilado no Brasil é adiado no STF

Julgamento de extradição de turco exilado no Brasil é adiado no STF

Mundo | 24-06-2019 07:35

Sobe para 28 o número de mortos em desabamento de edifício no Camboja

Sobe para 28 o número de mortos em desabamento de edifício no Camboja

Mundo | 22-06-2019 20:20

Trump diz que vai determinar novas sanções ao Irã na segunda-feira

Trump diz que vai determinar novas sanções ao Irã na segunda-feira

PUBLICIDADE