Trump acredita no aquecimento global, diz embaixadora dos EUA na ONU

Redação Tarobá News
Mundo | Publicado em 03/06/2017 às 16:20

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acredita no aquecimento global e que as atividade humana é parte da causa, afirmou a embaixadora do país na Organização das Nações Unidas (ONU), Nikki Haley.

De acordo com trechos de uma entrevista concedida à CNN que vai ao ar no domingo, divulgados pela própria emissora, Nikki afirmou que o republicano vai trabalhar para tornar a matriz energética do país mais limpa.

"Ele sabe que o clima está mudando, que os EUA precisam assumir sua responsabilidade, e é isso que faremos", afirmou a embaixadora norte-americana. "Não é porque saímos de um clube que deixamos de nos comprometer com o ambiente".

Na última quinta-feira, Trump anunciou a retirada dos EUA do Acordo do Clima de Paris, citando fatores econômicos e o que ele caracterizou como injustiças do pacto contra os EUA. Desde então, funcionários da Casa Branca têm evitado comentar sobre se Trump acredita ou não nas mudanças climáticas.

Durante a campanha presidencial, o republicano chegou escrever, em seu perfil no Twitter, que o aquecimento global era uma farsa inventada pelos chineses.

Em sua entrevista à CNN, Nikki reiterou o argumento de Trump de que o Acordo de Paris poderia prejudicar as companhias norte-americanas. Fonte: Dow Jones Newswires.



Relacionados

Mundo | 21-07-2018 09:40

Israel e Hamas concordam em cessar-fogo após mortes na Faixa de Gaza

Israel e Hamas concordam em cessar-fogo após mortes na Faixa de Gaza

Mundo | 21-07-2018 09:40

Esforço de Putin por referendo no leste da Ucrânia é rejeitado pela Casa Branca

Esforço de Putin por referendo no leste da Ucrânia é rejeitado pela Casa Branca

Mundo | 20-07-2018 22:15

Acidente com barco anfíbio deixa 17 mortos nos Estados Unidos

Acidente com barco anfíbio deixa 17 mortos nos Estados Unidos

Mundo | 20-07-2018 19:45

Parlamento da Índia derrota moção de desconfiança contra premiê Narendra Modi

Parlamento da Índia derrota moção de desconfiança contra premiê Narendra Modi