Trump condena violência em Charlottesville e pede união entre americanos

Estadão Conteúdo
Mundo | Publicado em 12/08/2017 às 15:15

O presidente dos EUA, Donald Trump, condenou a violência que desencadeou em Charlottesville, no Estado de Virginia (EUA), nesta manhã antes do início de um protesto marcado por grupos defensores da supremacia branca. Supremacistas e grupos opositores da manifestação atiraram objetos, além de trocar ofensas, socos e chutes entre si na manhã deste sábado.

Em sua conta no Twitter, Trump escreveu que "nós TODOS devemos estar unidos e condenar todos os que representam o ódio. Não há lugar para esse tipo de violência na América. Vamos juntos como um!".

Um dos organizadores, o blogueiro de extrema-direita Jason Kessler, disse que o evento se trata de uma manifestação "pró-brancos" para protestar contra a decisão de Charlottesville de remover uma estátua do General Confederado Robert E. Lee de um parque da cidade. Milhares de pessoas eram esperadas.

A prefeitura da cidade declarou estado de emergência e, através de sua conta no Twitter, descreveu o ato como uma "iminente guerra civil". De acordo com a polícia, alguns manifestantes foram detidos e ao menos duas pessoas ficaram feridas.

A primeira-dama dos EUA, Melania Trump, também condenou o confronto através de sua conta no Twitter. "Nosso país incentiva a liberdade de expressão, mas vamos nos comunicar sem ódio em nossos corações. Nada de bom vem da violência", escreveu. Fonte: Associated Press



Relacionados

Mundo | 20-09-2018 12:45

Primeiro-ministro reeleito diz que é hora de uma revisão constitucional no Japão

Primeiro-ministro reeleito diz que é hora de uma revisão constitucional no Japão

Mundo | 20-09-2018 10:55

Avião monomotor do governo americano sofre falha e cai no subúrbio de Houston

Avião monomotor do governo americano sofre falha e cai no subúrbio de Houston

Mundo | 20-09-2018 10:30

Confiança na Mídia cai nos EUA, revela pesquisa

Confiança na Mídia cai nos EUA, revela pesquisa

Mundo | 20-09-2018 10:05

Fronteira da Irlanda bloqueia negociações sobre Brexit

Fronteira da Irlanda bloqueia negociações sobre Brexit

PUBLICIDADE