Trump deve anunciar nova política com Cuba nesta sexta-feira

Estadão Conteúdo
Mundo | Publicado em 15/06/2017 às 16:00

Foto: Tibério Barchielli

O presidente Donald Trump nesta sexta-feira deve anunciar a nova política com Cuba, durante uma aparição em Miami. Entre os assuntos sobre a mesa estão cortes nas viagens dos Estados Unidos a Cuba e a proibição de fazer negócios com o conglomerado vinculado a militares que controla grande parte da economia cubana.

Cubanos comuns estão se preparando para o pior. Em toda a ilha, as pessoas de todas as idades, profissões e crenças políticas esperam crescentes tensões, menos turistas americanos e um período difícil para visitar parentes nos EUA. Enquanto alguns exilados cubanos no sul da Flórida estão comemorando, outros questionam a sabedoria de se desfazer de uma política que começou a mostrar resultados, aumentando o número de cubanos economicamente independentes do governo.

Em 1980, cerca de 125 mil cubanos fugiram do porto de Mariel em barcos para os EUA, no maior êxodo de refugiados da história cubana moderna. Hoje, a cidade localizada 30 milhas a oeste de Havana é o lar da principal instalação de carga do condado.

Em dezembro de 2014, o presidente Barack Obama havia anunciado que os EUA deixariam de tentar empurrar Cuba para o colapso. A nova política de compromisso de Obama desencadeou uma inundação de visitantes americanos, bombeando dinheiro para o setor privado nascente do país. Muitos cubanos melhoraram de vida.



Relacionados

Mundo | 15-08-2018 10:05

Número de mortos em queda de ponte na Itália chega a 39

Número de mortos em queda de ponte na Itália chega a 39

Mundo | 15-08-2018 09:30

Governo da Turquia diz estar "muito desapontado" com postura de EUA sobre pastor

Governo da Turquia diz estar "muito desapontado" com postura de EUA sobre pastor

Mundo | 15-08-2018 02:25

Turquia impõe tarifas a determinados produtos importados dos Estados Unidos

Turquia impõe tarifas a determinados produtos importados dos Estados Unidos

Mundo | 14-08-2018 21:30

2,3 milhões de pessoas deixaram Venezuela desde junho fugindo da crise, diz ONU

2,3 milhões de pessoas deixaram Venezuela desde junho fugindo da crise, diz ONU