Trump nunca direcionou ex-diretor do FBI a barrar investigação, diz advogado

Estadão Conteúdo
Mundo | Publicado em 08/06/2017 às 15:30

Foto: Divulgação

Advogado do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Marc Kasowitz divulgou comunicado nesta quinta-feira, após o depoimento ao Comitê de Inteligência do Senado de James Comey, ex-diretor do FBI. Kasowitz afirmou que a fala de Comey deixou claro que Trump nunca direcionou o então diretor do FBI a interromper qualquer investigação, incluindo aquela sobre o ex-assessor de segurança nacional Michael Flynn.

O advogado diz também na nota que Comey "finalmente confirmou publicamente" o que havia dito ao presidente em privado: que Trump não estava sob investigação, no âmbito da apuração da suposta interferência da Rússia na eleição presidencial do ano passado. A nota ressalta que o presidente nunca pressionou Comey.

Kasowitz afirma ainda que Trump nunca disse "eu preciso de lealdade, eu espero lealdade", nem sugeriu essa ideia. "Claro, o Escritório do presidente deve esperar lealdade daqueles que estão servindo em uma administração", diz o comunicado.

O advogado diz que Comey admitiu que "unilateral e sub-repticiamente" fez divulgações não autorizadas à imprensa de "comunicações privilegiadas com o presidente". O advogado de Trump sustenta que Comey revelou mais cedo que vazou os memorandos em resposta a uma mensagem no Twitter do presidente, mas Kasowitz aponta que um dia antes do tuíte de Trump o jornal The New York Times já vazara o conteúdo do documento. "Nós deixaremos às autoridades apropriadas determinar se esses vazamentos devem ser investigados junto com todos aqueles outros já sob investigação", diz o advogado.



Relacionados

Mundo | 17-01-2019 06:55

Kremlin critica ação dos EUA na Venezuela

Kremlin critica ação dos EUA na Venezuela

Mundo | 17-01-2019 06:39

Congresso peruano investiga empresa de presidente

Congresso peruano investiga empresa de presidente

Mundo | 17-01-2019 06:39

Reggae vira hino de imigrantes

Reggae vira hino de imigrantes

Mundo | 17-01-2019 06:39

Macri chama Venezuela de 'ditadura'

Macri chama Venezuela de 'ditadura'

PUBLICIDADE