Trump sugere instalação de painéis solares no muro da fronteira do México

Estadão Conteúdo
Mundo | Publicado em 07/06/2017 às 00:15

Foto Christopher Gordon US Navy

Em uma reunião com líderes republicanos no Congresso, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sugeriu hoje a instalação de painéis solares no muro que pretende construir na fronteira com o México, para a ajudar no financiamento da obra, de acordo com legisladores que participaram do encontro.

Trump insistiu que o muro vai ser construído para prevenir imigração ilegal e o tráfico de drogas, e que o México vai pagar pela barreira. Após autoridades mexicanas rejeitarem a ideia, Trump recuou em janeiro, sugerindo que os EUA pagariam antecipadamente pelo muro e que o México acabaria retornando o dinheiro. Mas o Congresso não alocou nenhum recurso para o projeto e a oposição democrata deixou em dúvida o futuro da obra.

A ideia não é nova. Acadêmicos sugeriram a mesma coisa em uma publicação do Wall Street Journal de março. E pelo menos um dos projetos de companhias enviados ao Departamento de Segurança Interna incluiria painéis solares para ajudar a financiar a obra.

Inicialmente, o Departamento de Segurança havia dito que os projetos seriam escolhidos até 1º de junho para começar a produção dos protótipos do muro durante o verão do Hemisfério Norte. Nenhum vencedor foi escolhido ainda. Fonte: Dow Jones Newswires.



Relacionados

Mundo | 20-05-2018 22:30

Japão: exportações sobem 7,8% em abril ante abril/2017; previsão de +8%

Japão: exportações sobem 7,8% em abril ante abril/2017; previsão de +8%

Mundo | 20-05-2018 19:05

Iraque: al-Sadr diz que próximo governo do país será "inclusivo"

Iraque: al-Sadr diz que próximo governo do país será "inclusivo"

Mundo | 20-05-2018 18:45

Maduro exorta venezuelanos a irem às urnas nas últimas horas do pleito

Maduro exorta venezuelanos a irem às urnas nas últimas horas do pleito

Mundo | 20-05-2018 18:05

Venezuela: após reclamações, conselho eleitoral fala em "correções"

Venezuela: após reclamações, conselho eleitoral fala em "correções"