Linha 4

Publicidade

BPMOA intensifica treinamento de pilotos para combate aéreo a incêndios florestais

Agência Estadual de Notícias

Foto: © BPMOA

A estiagem que afeta o Paraná elevou o risco de incêndios florestais por conta da vegetação mais seca. Para manter a eficiência no atendimento a esses casos, o Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA) fez uma Instrução de Combate a Incêndio com os pilotos de helicópteros nesta segunda-feira (10) nos Mananciais da Serra, em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba.

O exercício faz parte do Programa de Prevenção de Incêndios na Natureza (Previna) com a participação de órgãos de proteção ambiental e da Defesa Civil estadual.

O treinamento envolve pilotos, copilotos e demais tripulantes das aeronaves Falcão 04 e Falcão 09. O principal objetivo é aumentar a eficiência das manobras de combate às chamas nivelando os procedimentos entre todos os profissionais envolvidos nos casos de incêndios florestais. O planejamento do BPMOA em elevar cada vez mais as habilidades dos tripulantes faz parte de um trabalho conjunto para prevenção e combate a incêndios em Unidades de Conservação estaduais. 

Segundo o porta-voz do BPMOA, tenente Maikon Venâncio Correa, o exercício é basicamente a captação de água com o helibalde e o lançamento na própria represa, para evitar qualquer tipo de dano. “Estamos antecipando esse treinamento, que já faz parte do nosso cronograma, como forma de prevenção para que as equipes estejam preparadas para atuação, e também deixar equipamentos testados e fazer com que toda a sincronia de envolvidos esteja afinada para otimizar as operações e aumentar a eficiência nos casos de combate a incêndio”, explicou.

O Falcão 09, aplicado no nivelamento, é uma aeronave conveniada com o Instituto Água e Terra (IAT) e configurada operacionalmente para atendimento de ocorrências ambientais. Segundo o tenente, o helicóptero pode receber o helibalde, que é o principal equipamento utilizado em incêndios florestais. “A capacitação de hoje é o momento de adaptação dos comandantes que vão operar essa máquina e poder empregá-la em caso de necessidade”, salientou. 

HELIBALDE - O helibalde é um equipamento essencial que permite a captação de 560 litros de água de uma só vez e o lançamento em pontos críticos de um incêndio florestal. O recurso já foi usado em diversas ocorrências no Paraná. No Litoral do Estado foi empregado em Guaratuba, em abril do ano passado, e foi fundamental no combate ao fogo que consumiu parte do Parque Nacional de Ilha Grande, na divisa entre o Paraná e o Mato Grosso do Sul, em setembro de 2020.

INTEGRAÇÃO - O programa Previna, criado por meio de decreto governamental em 2018 para propiciar o trabalho colegiado, envolve a Segurança Pública – por meio do BPMOA, Corpo de Bombeiros e Batalhão de Polícia Ambiental-Força Verde (BPAmb-FV) – o meio ambiente, com a Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, e a Coordenadoria Estadual da Defesa Civil.

Os objetivos do programa são estabelecer medidas de prevenção e combate a incêndios florestais, elaborar planos de proteção, capacitar profissionais e envolver a sociedade, sendo possível até o cadastro de voluntários.

“A atuação conjunta é muito forte justamente porque atuamos como ferramenta para utilização do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil do Estado para mitigar os riscos dessas áreas e deixar a pronto emprego, principalmente nos locais de difícil acesso em que não há como chegar com caminhão e para fazer um deslocamento logístico com equipe para aquela área acaba sendo muito difícil. A aeronave vem para otimizar as ações”, explicou o tenente Maikon.

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade