Linha 4

Publicidade

Concluído primeiro dia de julgamento de Luis Felipe Manvailer, acusado da morte de Tatiane Spitzner

Redação Tarobá News

Terminou o primeiro dia de julgamento de Luis Felipe Manvailer às 21h desta terça-feira (04), após quase 12 horas de duração. O julgamento havia começado às 9h19.  O júri popular será retomado amanhã às 8h30.

Foram realizados dois dos 27 interrogatórios previstos. O delegado que investigou o caso e uma vizinha da vítima foram ouvidos. Sete homens foram sorteados para compor o Conselho de Sentença. Entre os 30 convocados, quatro mulheres foram sorteadas, mas acabaram dispensadas após pedidos da defesa do acusado.

Preso há dois anos e nove meses na Penitenciária Industrial de Guarapuava, Manvailer é acusado de homicídio qualificado, com as qualificadoras de feminicídio e morte mediante asfixia. Manvailler também responde por fraude processual. Após a oitiva de todos os arrolados pra depor, será ouvido o réu. Só depois tem início os debates entre acusação e defesa, começando pelo MP e depois defesa. Só aí é feita a avaliação dos jurados, e com isso posterior sentença é dada pelo juiz.

A perspectiva é de que o julgamento não termine antes de quinta-feira.

O caso

A advogada Tatiane Spitzner foi encontrada morta no apartamento em que morava com o companheiro, depois de ter sido agredida e sofrido uma queda do quarto andar do prédio na cidade de Guarapuava. Na noite do fato, em 22 de julho de 2018, Tatiane e o marido, Luiz Felipe Manvailler, comemoravam o aniversário dele em uma boate da cidade. 

O casal teve um desentendimento, e câmeras de segurança mostram Tatiane sendo agredida primeiro dentro do carro, na sequência na garagem, e também no elevador do condomínio. Após as brigas, vizinhos chamaram a polícia falando que uma mulher havia se jogado, ou sido jogada da sacada do prédio. 

Luiz Felipe, que após a queda ainda levou o corpo da mulher sem vida de volta para o apartamento, não estava no local quando os policiais chegaram. Ele foi preso horas depois após se envolver em um acidente próximo a fronteira com o Paraguai. A defesa do réu alega que Tatiane se jogou da sacada naquela noite.

Já o Ministério Público afirma que Tatiane morreu anteriormente, por asfixia mecânica, comprovada por laudos. Manvailler é acusado de homicídio qualificado e fraude processual, com qualificadora de feminicídio.

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade