Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Curso capacita famílias que queiram acolher menores temporariamente

29/01/18 às 20:51 - Escrito por Redação Tarobá News

A Secretaria Municipal de Assistência irá promover, durante toda a semana, uma capacitação para as famílias participantes do processo de habilitação para se tornarem famílias acolhedoras. O Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora de crianças e adolescentes foi regulamentado por meio do decreto municipal nº 1.392, assinado em 11 de dezembro de 2017, com o objetivo de garantir a crianças e adolescentes proteção e o retorno ao convívio familiar.

Serão realizados quatro encontros com as famílias. O primeiro será nesta terça-feira (30) e os demais acontecerão nos dias 1º, 5 e 7 de fevereiro. Todos os encontros serão das 19 horas às 20h30, no auditório da Prefeitura de Londrina, que fica no segundo andar da sede administrativa, localizada na Avenida Duque de Caxias, 635.

A iniciativa será promovida por meio de oficinas, conduzidas pelos profissionais da equipe do Serviço e por especialistas convidados, como os da rede de serviços socioassistenciais, Ministério Público, Defensoria Pública do Estado e Núcleo de Apoio Especializado à Criança e ao Adolescente (NAE).

A secretária municipal de Assistência Social, Nádia Oliveira de Moura, informou que capacitação tem como objetivo oferecer subsídio temático para as famílias cadastradas no Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora, além de concluir o processo de habilitação das famílias cadastradas.

Atualmente, três famílias já foram habilitadas e outras quatro estão em processo de habilitação, as quais participarão da capacitação. “Nos encontros serão repassadas informações a respeito das orientações técnicas do serviço, sobretudo na condução temática e metodológica de todo o processo”, explicou Nádia.

A psicóloga do Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora, Márcia Tokita, mencionou que a capacitação consiste em um dos mais importantes momentos no desenvolvimento das ações do serviço. Segundo Márcia, trata-se de um processo para que as famílias previamente cadastradas e avaliadas possam refletir sobre temas relacionados às questões pertinentes ao acolhimento.

Sobre o serviço - O Família Acolhedora atende crianças e adolescentes de Londrina, de zero a 18 anos incompletos, podendo se estender até 21 anos, que estejam afastados do convívio familiar por medida de proteção ou em função de abandono. Os encaminhamentos para o serviço de Família Acolhedora se dão por meio da Vara da Infância e da Juventude de Londrina. Atualmente, cerca de 100 crianças e adolescentes estão em acolhimento institucional em Londrina.

Os principais requisitos que a família interessada em participar do serviço de acolhimento deve preencher são: os responsáveis familiares serem maiores de 21 anos, sem restrição quanto ao sexo e estado civil; formalizar a declaração de não ter interesse em adoção; ter a concordância de todos os membros da família que moram no mesmo domicílio; residir em Londrina há pelo menos um ano; não possuir pendências com a Justiça e com o Conselho Tutelar; não ter passado por situações de luto ou perdas recentes, entre outros critérios. Não é necessário que haja vínculo familiar entre as partes para se tornar uma família acolhedora.

Cumprindo os requisitos, é preciso entrar em contato com o Serviço de Família Acolhedora para participar do processo de avaliação, comprovando ser capacitado e estar disponível afetivamente para esta vivência. O telefone do local é o 3378-0589 e o endereço é Avenida Rio de Janeiro, 1.288, centro. Também é possível entrar em contato pelo e-mail [email protected] O site do serviço é www.londrina.pr.gov.br/familiaacolhedora e a rede social é facebook.com/familiacolhedoralondrina.

Com N.Com

© Copyright 2022 Grupo Tarobá