Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel
Londrina
Cascavel

Empresas adotam férias coletivas no fim de ano em Londrina

28/12/17 às 11:49 - Escrito por Redação Tarobá News

Máquinas paradas, fábrica vazia em dia de semana. Só mesmo em período de férias. Férias coletivas. Uma empresa de Londrina para nessa época do ano. Os 24 funcionários saíram no dia 22 e voltam só no dia 15/01."Dessa forma, não precisamos ter um funcionário a cada 12, para que a cada mês um entre de férias", conta o diretor Claudino Bianchini. 

As baterias todas já estão praticamente prontas para venda. Os clientes já sabem e antecipam as compras. Tudo é preparado com antecedência de meses. Das contas ao estoque. "As nossas vendas são melhores no inverno, porque as pessoas precisam de baterias neste período. No entanto, mantemos o estoque para ter um regulador que nos permita fazer essa parada estratégica no fim do ano. Além de aproveitar o tempo para fazer manutenção nas máquinas.", explica Claudino. 

E não são apenas as grandes empresas ou fábricas que param. Vários setores aderiram às férias coletivas. A revenda de carros usados, a loja de produtos naturais, o chaveiro, a loja de acabamentos para construção, a loja de materiais elétricos, a lanchonete. "Ao fechar para as férias coletivas, o patrão reduz os custos em um momento em que a demanda é pequena", aponta o economista Marcos Rambalducci.  

Nem todos os setores e serviços podem parar por alguns dias ou semanas no ano. Pra quem pode, a redução de custos no período de baixa demanda é um fator positivo. Mas, além de exigir um planejamento prévio, as férias coletivas podem beneficiar o concorrente. "Para quem tem uma marca que ainda não está consagrada esta é a oportunidade de aproveitar a ausência da concorrência e estabelecer a clientela", ressalta Marcos. 

Para o trabalhador também é assim. Tem pontos positivos e negativos. "A primeira desvantagem é que o trabalhador não negocia um período de descanso com o empregador. A segunda é que, pelas férias coletivas, fica mais difícil vender 10 dias de férias", afirma a gerente de RH Adilséia Batista. Por outro lado, ela levanta várias vantagens. Entre elas, o tratamento igual para todos os funcionários. "Dessa forma, não tem briga, porque todos saem de férias no mesmo período. Além disso, as pessoas que ainda não têm um ano de empresa não são lesadas e também rende um dinheiro extra para o fim de ano."

(Reportagem: Luciane Miyazaki)

© Copyright 2022 Grupo Tarobá