Homem é preso após ser encontrado em motel com garotas de 12 e 13 anos

Redação Tarobá News
Paraná | Publicado em 13/02/2019 às 21:16

Foto: Polícia Civil de Telêmaco Borba/Divulgação

Um homem de 33 anos foi preso na tarde desta quinta-feira (13), na cidade de Telêmaco Borba, no interior do Paraná, suspeito de manter relações sexuais com garotas de 12 e 13 anos. Ele foi flagrado no dia 18 de novembro de 2018 no quarto de um motel, acompanhado pelas jovens e por mais uma menina de 18 anos.

O suspeito, conhecido como Raphael Padilha Assmann, havia sido preso em flagrante pelo caso, mas conseguiu a liberação dias depois. A prisão preventiva dele foi decretada ainda 2018. ” Com isso,  nós começamos a procurar o suspeito em Curitiba, pois tínhamos informações de que ele se encontrava pela cidade. Levantamos dados sobre o seu paradeiro e descobrimos que ele moraria na região do bairro Bom Retiro. Na tarde de hoje, foi confirmada a presença do suspeito em um carro na região central da capital paranaense”, contou o delegado Rodrigo Brown, do COPE, o Centro de Operações Policiais Especiais, que trabalhou em cooperação com a Polícia Civil de Telêmaco Borba.

Ao ser preso, Padilha confirmou que manteve relações sexuais com as jovens, mas alegou desconhecer a idade das meninas. O suspeito permanecerá na carceragem do COPE aguardando a transferência para Telêmaco Borba, local em que ele irá responder um processo por estupro de vulnerável.

Fonte: Banda B



Relacionados

Paraná | 15-02-2019 16:03

Final de semana terá tempo fechado e chuva em todo o PR

Final de semana terá tempo fechado e chuva em todo o PR

Londrina | 15-02-2019 15:02

Defesa Civil faz alerta de chuvas intensas na região de Londrina

Defesa Civil faz alerta de chuvas intensas na região de Londrina

Paraná | 15-02-2019 12:57

Nota Paraná libera R$ 38,6 milhões em créditos em fevereiro

Nota Paraná libera R$ 38,6 milhões em créditos em fevereiro

Curitiba | 15-02-2019 11:38

Após denúncia de Pacheco, Celepar cancela licitação de R$ 50 milhões sob suspeita

Após denúncia de Pacheco, Celepar cancela licitação de R$ 50 milhões sob suspeita

PUBLICIDADE