Linha 4

Publicidade

Paraná confirma primeiro caso da Ômicron e declara epidemia de H3N2 no Estado

Redação Tarobá News

O secretário estadual de Saúde, Beto Preto, confirmou na manhã desta quarta-feira (12) o primeiro caso da variante Ômicron no Paraná. Trata-se de um jovem curitibano de 24 anos, que fez o teste no dia 18 de dezembro. O Estado encaminhou os testes suspeitos da variante da Covid-19 para Fiocruz, que após a análise enviou o resultado positivo na manhã desta quarta.

Além disso, Beto Preto também declarou “estado de epidemia” no Paraná por causa da gripe H3N2, que já tem 832 casos confirmados, sendo 805 paranaenses e 27 visitantes em 144 municípios do Estado. “O número é bem maior que nos anos anteriores e ainda existe o aumento previsto com mais testes realizados após o período de fim de ano”, comentou.

Até o momento são 12 óbitos por H3N2 no Estado, sendo que Curitiba, Londrina e Paraná já tiveram dois mortos em cada cidade, e Arapongas, Foz do Iguaçu, Maringa, Marumbi e Tapira registraram uma morte pela doença. São seis homens e seis mulheres que acabaram morrendo por H3N2, de 11 de dezembro até 10 de janeiro.

Quanto a cobertura vacinal da influenza, o secretário afirmou que foram disponibilizadas 4,4 milhões de doses, mas que ainda há cerca de 616 mil disponíveis para a aplicação em todo o Estado, inclusive para os paranaenses fora dos grupos prioritários. O Governo tem feito um esforço nas cidades litoral que estão com uma grande ocupação de turistas do interior do estado, afim de vacinar aqueles que quiserem receber a dose da vacina.

ÔMICRON

O primeiro paciente confirmado com a variante Ômicron já havia tomado as duas doses da vacina e pegou pela segunda vez o vírus da Covid-19. Ele teve sintomas no dia 14 de dezembro. Segundo o Beto Preto, no geral, os casos de Covid no Estado tem tido quadros leves, e a vacina é o salvo conduto do estado para conter o desenvolvimento da doença.

De acordo com o secretário, os municípios voltaram a fazer os testes em massa e que há conversas entre o Governo e Prefeituras afim de reduzir o isolamento de pessoas assintomáticas para 7 dias, conforme nova recomendação do Ministério da Saúde, e 10 dias para pacientes sintomáticos. 

Traçando uma paralelo entre os meses de janeiro de 2021 e janeiro de 2022, no ano passado eram mais de 1900 pessoas internadas no estado por Covid-19, quando ainda não havia a cobertura vacinal e no momento, são 492 pessoas em internamento pela doença. No entanto, os casos estão em elevação no comparativo com novembro/dezembro de 2021. O "boom" de casos teria sido potencializado pelas festas de final de ano e aglomerações no litoral. O secretário lembrou que a Ômicron é considerada até três mais transmissível que as outras variantes, apesar de ser menos letal. 

Beto Preto ressaltou que cuidados e alertas devem ser mantidos, afim de conter a disseminação da H3N2 e da Covid-19.

VACINAS PARA CRIANÇAS

O Paraná aguarda para as próximas semanas 185 mil doses da vacina da Pfizer para crianças, no entanto mais de 1 milhão de paranaenses entre 5 e 11 anos devem ser vacinados, conforme a previsão da Secretaria Estadual de Saúde.

Assim, a vacinação com a primeira dose deve começar em janeiro e se estender até o mês de março, com início das aulas em fevereiro, o que foi confirmado durante a coletiva. "Vamos aguardar como será a procura depois de tanta polêmica envolvendo o assunto", comentou Beto Preto.

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade

Nós usamos cookies teste site para lhe proporcionar a melhor experiência possível lembrando de preferências em visitas anteriores. Clicando em "Aceitar" você aceita o uso de cookies e nossos Termos de Uso.