Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

PCPR apreende produtos irregulares em clínica estética em Curitiba

14/06/24 às 10:32 - Escrito por Agência Estadual de Notícias
siga o Tarobá News no Google News!

A Polícia Civil do Paraná (PCPR), em conjunto com a Vigilância Sanitária (VISA), apreendeu produtos injetáveis irregulares durante operação deflagrada na manhã desta quinta-feira (13), em uma clínica estética, em Curitiba. 


No local, foram encontrados produtos vencidos, sem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e fenol manipulado em nome da suposta esteticista para serem aplicados nos pacientes.  


“Os produtos usados não estavam em conformidade, então durante o cumprimento do mandado de busca nos apreendemos produtos injetáveis, desde ácido hialurônico vencido, produtos que não tem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), como colágeno e o próprio fenol”, conta a delegada da PCPR Aline Manzatto.

Leia mais:

Imagem de destaque
VEJA ORIENTAÇÕES

Copel orienta sobre cuidados para garantir a segurança ao soltar pipas

Imagem de destaque
INVESTIMENTOS

Estado investe R$ 100 milhões em vigilância em saúde e combate à dengue no semestre

Imagem de destaque
POSITIVIDADE DE 50%

Em seis meses, Lacen processa 13.298 amostras de vírus respiratórios

Imagem de destaque
RMC

Homem promete casamento, mas dá prejuízo de quase meio milhão para vítima


A ação é decorrente de investigações que apuram os crimes de lesão corporal, exercício ilegal da medicina e uso de produto falsificado destinado a fins terapêuticos ou medicinais, ocorridos no dia 25 de maio, na capital paranaense.


A suspeita pode responder por crimes de lesão corporal, exercício ilegal da medicina e uso de produto falsificado destinado a fins terapêuticos ou medicinais.


Foi verificado pela Vigilância Sanitária que a mulher não possui o registro valido para atuar com procedimentos invasivos.


CRIME- No dia 25 de maio, a vítima submeteu-se ao peeling de fenol aplicado por uma profissional que se identifica como biomédica. Após 11 dias do procedimento, a mulher sentiu dores intensas e foi hospitalizada. 


Por consequências do peeling, a vítima sofreu queimaduras de segundo e terceiro grau e passou por uma intervenção cirúrgica para tratar a derme facial.


DENÚNCIA – A PCPR orienta que caso seja vítima e tiver tido algum tipo de lesão ou sequelas diante dos procedimentos realizados pela mulher, deve imediatamente fazer um registro de boletim de ocorrência na delegacia mais próxima.  

Notícias relacionadas

© Copyright 2023 Grupo Tarobá