Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

PCPR prende nove pessoas por receptação de cigarros eletrônicos em Curitiba

18/06/24 às 09:14 - Escrito por Assessoria de Imprensa
siga o Tarobá News no Google News!

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prendeu em flagrante nove pessoas por receptação durante operação deflagrada visando combater a comercialização de cigarros eletrônicos. A ação, que contou com a participação da Vigilância Sanitária e do Procon-PR, foi realizada na quinta-feira (13), em Curitiba.


Ao todo, seis estabelecimentos comerciais foram fiscalizado e mais de mil itens apreendidos, além de um veículo. 


“Em um dos estabelecimentos os dispositivos eletrônicos estavam armazenados em um fundo falso de armário. Em outro local os policiais flagraram um homem em um veículo com diversos cigarros eletrônicos, motivo pelo qual foi preso e com ele apreendido os produtos e o carro”, conta a delegada da PCPR Camila Cecconelo.

Leia mais:

Imagem de destaque
SEGUNDO ANUÁRIO

Paraná teve 3ª maior redução no número de mortes violentas do Brasil em 2023

Imagem de destaque
FINANCIAMENTO DE PROJETOS

Fomento Paraná tem R$ 26 milhões disponíveis para apoio a negócios ligados ao turismo

Imagem de destaque
IMPACTOS

Copel e Simepar desenvolvem sistema de IA para prever desligamentos por temporais

Imagem de destaque
NATASHA FERREIRA

Judoca paranaense patrocinada pela Sanepar vai disputar Olimpíada de Paris


A delegada da PCPR Aline Manzatto explica que as pessoas foram autuadas em flagrante por receptação qualificada. 


“As pessoas foram presas pela prática do crime de receptação qualificada, tendo em vista que ocorreu durante exercício de atividade comercial, o que aumenta a pena do crime para três a oito anos de reclusão”, explica a delegada da PCPR Aline Manzatto.


Além dos produtos apreendidos e prisões, os fornecedores estão sujeitos a responder  às sanções previstas no Código do Consumidor, em especial a sanção de multa aplicadas pelo Procon-PR, que podem chegar até R$ 12 milhões.


"A venda de cigarro eletrônico é proibida do Brasil pela legislação. Trata-se de produto extremamente nocivo e que têm sido consumido em quantidade cada vez maior pelo público jovem. Há relatos realizados pelas autoridades de saúde dando conta que adolescentes estão apresentando graves sequelas em razão do uso dos chamados vapers, o que é uma preocupação do Procon-PR e do secretário da Justiça, Santin Roveda" afirma Claudia Silvano, coordenadora do Procon-PR. 

Notícias relacionadas

© Copyright 2023 Grupo Tarobá