Linha 4

Publicidade

Polícia Científica ajuda a esclarecer acidente na Grande Curitiba

Redação Tarobá News

AEN-PR

Segue em investigação o acidente ocorrido no último domingo (02.08), no km 76 da BR-277, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, com mais de 20 veículos envolvidos e 30 vítimas, incluindo oito óbitos. Para auxiliar os trabalhos, a Polícia Científica do Paraná faz análises de provas e exames complementares, para elaboração dos laudos periciais.

Ainda no dia do acidente, foi verificado o disco tacógrafo do caminhão, bem como todo o levantamento da dinâmica do evento pelo perito de local. Na sequência, na segunda-feira, os peritos médicos legistas realizaram as necropsias e as vítimas foram todas liberadas, já devidamente identificadas para os seus familiares.

Para o secretário da Segurança Pública, Marinho Soares, esta agilidade mostra a eficiência da instituição. “Soubemos que profissionais que estariam de folga e que ficaram impactados com o acidente, fizeram questão de colaborar com o trabalho da Polícia Científica. Além de demonstrar o respeito às famílias e vítimas, a força-tarefa demonstrou agilidade e competência de todos”, afirmou.

TRABALHOS - Juntamente com outras instituições da Segurança Pública, o trabalho da Polícia Científica começou ainda no local do acidente. Enquanto os bombeiros militares, médicos e enfermeiros ficaram responsáveis pela remoção e o atendimento às vítimas, peritos da Polícia Científica faziam os procedimentos de medição do local, levantamento de dados e coleta de evidências.

“O trabalho da Polícia Científica é contar a história do acidente, ou seja, explicar as causas e entender o que aconteceu. Para isso, equipes do Instituto de Criminalística e do Instituto Médico Legal são enviados ao local, para fazerem a materialização do caso e, desta forma, poderem, por exemplo, reconstituir a cena do ocorrido o mais precisamente possível”,, explicou o diretor-geral da instituição, Luiz Rodrigo Grochocki.

Um dos profissionais que está trabalhando no caso é o perito criminal de acidente de trânsito e designer gráfico Fernando Imay. “O trabalho do perito de localística é fazer a coleta do maior número de informações possíveis acerca da ocorrência, para serem reproduzidas e analisadas, evitando ao máximo a perda de informações”, explicou.

Esta etapa do processo é a que determinará os passos seguintes na elucidação do caso. Para tanto, segundo ele, a área de isolamento do caso é de grande importância para que os profissionais da Polícia Científica possam trabalhar.

“A preservação da cena de um ocorrência que deixe vítimas fatais e que demanda um perito no local é uma das etapas mais importantes para que o trabalho de perícia seja efetivo. De nada adianta uma análise pericial extremamente bem feita em cima de elementos adulterados”, afirmou Imay.


AEN-PR

COMENTÁRIOS

Publicidade