Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Polícia Federal combate venda de medicamentos falsificados no Paraná

20/06/24 às 08:03 - Escrito por Redação Tarobá News
siga o Tarobá News no Google News!

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (20) a Operação Counterfeit, com o objetivo de desarticular uma rede criminosa especializada na venda de medicamentos falsificados para órgãos públicos.


Estão sendo cumpridos 15 mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva, além de sequestro de bens, nas cidades de Curitiba/PR, Francisco Beltrão/PR, Corumbá/MS, Ladário/MS, Campo Grande/MS, Birigui/SP, São Caetano do Sul/SP, Rio de Janeiro/RJ, Nova Iguaçu/RJ e Jacobina/BA.


A investigação teve início a partir de informações fornecidas pela Polícia Civil do Estado do Paraná, que apontaram que uma empresa vencedora de uma licitação em 2022 para fornecer imunoglobulina ao Hospital Geral de Curitiba estaria envolvida no fornecimento de medicamentos falsificados.

Leia mais:

Imagem de destaque
EM CURITIBA

PCPR destrói 11,9 toneladas de medicamentos apreendidos no primeiro semestre

Imagem de destaque
DADOS ATUALIZADOS

Secretaria da Saúde confirma mais 13.049 casos e 23 óbitos por dengue no Paraná

Imagem de destaque
CUMPRIU MANDADOS

PCPR prende cinco pessoas em operação contra o tráfico de drogas em Toledo

Imagem de destaque
ENTENDA

Com novo comitê, Paraná atinge 100% de cobertura das regiões hídricas do Estado


Após a apreensão dos medicamentos, a Polícia Federal confirmou a falsificação completa dos remédios, desde as caixas, falsamente identificadas, até a sua composição, na qual se constatou a ausência de imunoglobulina, como deveria conter.


De acordo com as investigações, os remédios falsificados tinham origem na Bolívia. Dois estrangeiros, um dos quais estudante de medicina, foram identificados como os principais suspeitos pela comercialização dos medicamentos.


As investigações revelaram que o grupo criminoso investigado conseguiu vender aproximadamente R$ 11 milhões em medicamentos falsificados de imunoglobulina para órgãos públicos no estado do Paraná.


Os envolvidos estão sendo investigados por crimes como associação criminosa, fraude à licitação e falsificação de medicamentos.


Notícias relacionadas

© Copyright 2023 Grupo Tarobá