Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel
Londrina
Cascavel

Saúde alerta para mobilização contra a dengue

08/12/17 às 17:42 - Escrito por Ellen Santos
Foto: AEN -

No dia D de Combate à Dengue, celebrado nesta sexta-feira (8), a Secretaria de Estado da Saúde reuniu o comitê estadual e autoridades nacionais para mobilizar a sociedade no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e diversas outras doenças. O encontro foi transmitido por videoconferência para as 22 Regionais de Saúde e contou com a presença de representantes do Ministério da Saúde e autoridades locais e regionais.

No período epidemiológico entre agosto de 2015 e julho de 2016, foram registrados no Paraná 56.351 casos de dengue, a pior epidemia enfrentada no Estado. Já no período que vai de agosto de 2016 a julho de 2017, esse número caiu para 870 casos.

Os últimos dados do boletim da dengue, divulgado pela Secretaria e atualizados em 21 de novembro, mostram que a partir de agosto deste ano foram confirmados apenas 191 casos.

O coordenador-geral dos programas nacionais de controle e prevenção da malária e das doenças transmitidas pelo Aedes, Divino Martins, representante do Ministério da Saúde, disse que a saúde pública é feita pelo governo, mas precisa ter a participação do público. Segundo ele, a única forma de haver um controle efetivo da doença é com o envolvimento de todas as áreas da sociedade.

CAMPANHA – A nova campanha da secretaria foca justamente no cuidado semanal. Os panfletos orientativos incentivam a população a fazer a vistoria em locais como ralos, calhas, caixas d’água, vasilhas para animais, lixos e entulhos. O material será distribuído em todo o Estado.

NDICE – Além de ações educativas, a Secretaria de Estado da Saúde incentiva que todos os municípios do Estado façam o Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa), um método para verificar de maneira ágil a quantidade de focos do mosquito nos municípios. A conta é simples: divide-se o número de residências fiscalizadas pelos agentes comunitários de saúde pelo número de focos por eles encontrados e, assim, chega-se a um índice.

O Ministério da Saúde recomenda que este índice não seja maior de 1%. Quando este índice é maior ou igual a quatro, o município está em sinal de alerta epidemiológico. No último LIRAa feito pelos municípios paranaenses, 20 das 380 cidades que realizam a pesquisa apresentaram índices maiores do que 4%.

SERVIÇO – Ao menor sinal da presença do mosquito ou se sentir alguma suspeita de que possa estar com o vírus da dengue, vá até a unidade de saúde mais próxima e procure atendimento. A dengue pode ter sintomas parecidos com os da gripe e pode ser fatal. Para saber mais informações, acesse www.saude.pr.gov.br.

AEN

© Copyright 2022 Grupo Tarobá