Saúde investiga suspeita de morte por dengue

Redação Tarobá News
Paraná | Publicado em 10/01/2019 às 17:06

A morte de uma adolescente de Uraí, no Norte do Estado, está sendo investigada por haver suspeita de ter sido causada por dengue. A menina, de 14 anos, passava as festas de final de ano em Cornélio Procópio, onde foi hospitalizada no dia 29 de dezembro. O caso se agravou porque ela era diabética.

O teste rápido que é feito no momento da internação deu positivo para dengue, mas esse procedimento apenas orienta o diagnóstico inicial, uma vez que há grande possibilidade de ocorrer cruzamento com outras doenças. Até o momento, a sorologia desenvolvida pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) não confirma tratar-se de dengue. Novos testes serão realizados.

De acordo com a chefe do Centro Estadual de Vigilância Ambiental, Ivana Belmonte, ao receber a notificação, a Secretaria de Estado da Saúde encaminhou ao município de Uraí dois equipamentos de fumacê para reduzir os mosquitos que estão no ar. Também foi reforçado o envio de repelente para uso de gestantes e crianças de até 5 anos e material educativo.

“Mas a eliminação das larvas (criadouros) depende muito do empenho da própria população, que precisa eliminar os focos de água parada em seus domicílios”, destaca Ivana.

Uraí apresenta um crescimento na circulação do vírus da dengue tipo 2, o que também aumenta a preocupação, uma vez que até o ano passado a grande maioria dos casos registrados no Paraná, cerca de 90%, era do tipo 1. Mesmo pessoas que se tornaram imunes ao tipo 1 podem ser infectadas pela dengue tipo 2.

EM NÚMEROS - Desde agosto do ano passado, o Estado confirmou a ocorrência de 129 casos de dengue distribuídos em 38 municípios, especialmente do Norte, Noroeste e Oeste do Paraná. Mas, até o momento, apenas Uraí atingiu a situação de alerta de epidemia, considerada a partir da incidência de 273,62 casos para cada 100 mil habitantes.

ALERTA - Nos momentos de maior incidência da dengue, como é o caso do verão, toda a população deve ser colocada em alerta para evitar a proliferação do mosquito transmissor. É preciso eliminar todo tipo e tamanho de água parada, poços e bebedouros de animais, onde as larvas do mosquito se criam.

Informações: AEN



Relacionados

Londrina | 18-01-2019 14:46

Gaeco pede que Rony e Takahashi fiquem mais 6 meses afastados da Câmara

Gaeco pede que Rony e Takahashi fiquem mais 6 meses afastados da Câmara

Curitiba | 18-01-2019 12:56

Abertas as inscrições para chefes dos Núcleos Regionais de Educação

Abertas as inscrições para chefes dos Núcleos Regionais de Educação

Curitiba | 18-01-2019 12:41

Novo secretário de educação quer mais valorização dos professores

Novo secretário de educação quer mais valorização dos professores

Antonina | 18-01-2019 11:40

Chuvas alteram qualidade da água em um ponto do Litoral

Chuvas alteram qualidade da água em um ponto do Litoral

PUBLICIDADE