Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Sesa e Cosems reforçam necessidade da vacinação contra Covid-19 para crianças

07/06/24 às 16:52 - Escrito por Agência Estadual de Notícias
siga o Tarobá News no Google News!

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Paraná (Cosems/PR) divulgaram uma nota técnica conjunta nesta sexta-feira (7), reforçando a inclusão da vacina contra a Covid-19 no Calendário Básico de Vacinação para crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade e a obrigatoriedade da imunização neste público.


O imunizante contra a Covid-19 foi incorporado no Calendário Nacional de Vacinação para crianças a partir de 1º de janeiro de 2024, tornando essa vacina obrigatória, conforme exposto na Nota Técnica nº 118/2023 da Coordenação-Geral de Incorporação Científica e Imunização do Ministério da Saúde.


“A carteirinha é um documento oficial de todo cidadão e precisa estar com todas as vacinas obrigatórias em dia. No caso de crianças e adolescentes, cabe aos pais e responsáveis o monitoramento e cuidado para que a imunização esteja sempre atualizada”, disse o secretário de Estado da Saúde, César Neves.

Leia mais:

Imagem de destaque

Acidente em Nova Aurora deixa dois feridos na PR-239

Imagem de destaque
ABANDONO

Casal é detido após abandonarem filho de cinco anos sozinho em Casa

Imagem de destaque
EDUCAÇÃO

Robôs construídos por estudantes de Cascavel participam da 16ª Campus Party

Imagem de destaque
CELL BROADCAST

Defesa Civil mostra como será teste de alerta climático em duas cidades do Paraná


No Paraná, a Lei Estadual nº 19.534 de 4 de junho de 2018 tornou obrigatório a apresentação da carteira de vacinação atualizada no ato da matrícula escolar para alunos de até 18 anos de idade. A lei é regulamentada pela Instrução Normativa Conjunta nº 01/2018 das Secretarias de Saúde e da Educação.


A nota conjunta esclarece que antes de chegar à população, as vacinas passam por estudos realizados para a comprovação de sua qualidade, segurança e eficácia. Além disso, instituições como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) também atuam na avaliação e controle das vacinas indicadas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI).


NOVA VACINA – No mês passado, o Paraná recebeu as primeiras remessas das vacinas Spikevax monovalente contra a Covid-19, fabricada pela farmacêutica americana Moderna. O imunizante substituiu todas as vacinas utilizadas anteriormente. Até o momento, o Estado já recebeu e distribuiu para os 399 municípios, 195 mil doses da nova vacina.


O imunizante Covid-19 Monovalente (XBB) trata-se de uma vacina RNA mensageiro (RNAm) que codifica a glicoproteína spike estabilizada por meio de nanopartículas lipídicas. Após a injeção, as células do corpo absorvem a nanopartícula lipídica, entregando a sequência de RNAm às células para tradução em proteína viral, iniciando então a resposta imunológica contra o SARS-CoV-2.


A vacina deve ser utilizada em toda a população entre seis meses e 4 anos, 11 meses e 29 dias não vacinada ou com esquema vacinal incompleto das vacinas anteriores, dentro da rotina no Calendário Nacional de Vacinação Infantil. O esquema nesse caso é com duas doses.


Este imunizante será ofertado nos municípios que possuem estoque também neste sábado (8), durante o Dia D da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite. As ações do Dia D também contemplam a atualização da carteirinha vacinal de toda a população, independente da faixa etária, com outros imunizantes elencados pelo PNI, de acordo com a disponibilidade de cada município.

Notícias relacionadas

© Copyright 2023 Grupo Tarobá