Linha 4

Publicidade

Operação Container detém homem com armas e quase R$ 50 mil

Redação Tarobá News

Um homem foi detido com várias armas e com quase R$ 50 mil em dinheiro em cumprimento a um dos mandados da Operação Container, que apura a prática de crimes de cartel, fraude a licitação, corrupção ativa e passiva e crimes contra o meio ambiente no âmbito de licitações municipais para contratação do serviço de destinação de resíduos sólidos, deflagrada hoje (24), em 11 municípios do estado do Paraná. 

Durante operação conjunta Gaeco e PM sobre o cartel e fraude em licitações e organização criminosa, a equipe de militares foi incumbida de cumprir um mandado de prisão na Linha Nova Seção, no interior de Francisco Beltrão  em desfavor de, José Carlos Bieger, o qual foi detido em cumprimento a ordem expedida pelo Juíz de Direito Alberto Moreira Cortes Neto da Comarca de Laranjeiras do Sul. 

José Carlos foi surpreendido pela equipe policial quando estava deitado no sofá da sala onde imediatamente recebeu voz de prisão.  Em revista ao local foram localizados um revolver calibre 38 dentro de uma pasta municiado com 06 munições intactas, durante busca na residência foram apreendidos alguns papéis de interesse do Gaeco em relação a operação, um celular de marca Motorola modelo moto G5. Foram encontradas ainda mais 4 armas sendo uma carabina cal .22, municiada com uma munição, uma espingarda calibre 12 marca Boito com numeração suprimida municiada com 5 munições, um pistolete marca Boito, cal 20 municiado com duas munições, uma arma de pressão sem marca também foram encontradas 167 munições calibre 22 marca CBC, 9 munições calibre 38 marca CBC, 15 munições calibre 20 marca CBC e 36 munições calibre 12. 

Ainda foram apreendidos cheques que somados chegaram a quantia de R$ 47,396 que estavam dentro de uma caixa, sob uma estante no quarto do filho de José Carlos, posteriormente identificado como João Carlos Bieger. Armas, munições, cheques e o detido foram encaminhados para a sede do Gaeco de Francisco Beltrão e posteriormente a delegacia da mesma comarca. 

Ainda hoje o Gaeco deve passar mais informações sobre o modus operandi da quadrilha envolvida nas fraudes. De acordo com as investigações do MPPR – envolvendo fatos ocorridos a partir de 2014 –, dois grupos empresariais com sede na região Sudoeste organizaram-se para fixar artificialmente o preço máximo das licitações de resíduos sólidos e regionalizar o mercado por municípios, o que caracteriza a prática do crime de cartel.

Operação Container apura fraudes em licitações municipais para coleta de lixo

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade

Nós usamos cookies teste site para lhe proporcionar a melhor experiência possível lembrando de preferências em visitas anteriores. Clicando em "Aceitar" você aceita o uso de cookies e nossos Termos de Uso.