Criminoso acaba morto em confronto com a PM em Mariluz

Redação Tarobá News
Policial | Publicado em 14/01/2019 às 09:49

Foto: Arquivo Umuarama News

Luís Alberto Moreira Brasileiro, 36 anos, acabou morto em confronto com a Polícia Militar na noite de domingo (13) em Mariluz.

A Polícia Militar recebeu uma solicitação via 190 de que um indivíduo estaria aramado em via pública efetuado disparos de arma de fogo e ameaçando algumas pessoas nas proximidades do “chico da bugiganga” na Rua Bonfim.

Durante diligências os policiais se depararam com o suspeito, desembarcaram da viatura e deram voz de abordagem, mas foram recebidos a tiros. Durante o confronto, foi atingido e caiu no chão, ele ainda tentou pegar a arma, um revólver calibre 32, que estava próxima, porém foi apreendida pelos policiais.

A Polícia Militar acionou o socorro médico, mas o criminosos não resistiu aos ferimentos em entrou em óbito no Hospital Municipal de Mariluz.

De acordo com a Polícia Militar, Luís Alberto, era bastante conhecido do meio policial por envolvimento em ilícitos na cidade e que ele já havia sido alvejado por disparos de arma de fogo no passado por desafetos, os quais também participam de atividade ilícita.

Devido a aglomeração de familiares e pessoas ligadas a Luís Alberto, o médico plantonista decidiu encaminhar o corpo com a ambulância do município ao IML de Umuarama.

Fonte: Umuarama News



Relacionados

Guaíra | 19-03-2019 18:26

PF de Guaíra treina efetivo da Força Nacional para utilização de fuzil 762

PF de Guaíra treina efetivo da Força Nacional para utilização de fuzil 762

Rio Branco do Ivaí | 19-03-2019 17:55

Homem invade igreja e destrói objetos sacros em Rio Branco do Ivaí

Homem invade igreja e destrói objetos sacros em Rio Branco do Ivaí

Curitiba | 19-03-2019 16:55

Polícia prende homem que espancou esposa e fez cortes em genitais de enteados

Polícia prende homem que espancou esposa e fez cortes em genitais de enteados

Policial | 19-03-2019 16:52

Agressores de mulheres não poderão tirar carteira de advogado, diz OAB

Agressores de mulheres não poderão tirar carteira de advogado, diz OAB