Gaeco cumpre mandados de busca e apreensão em Foz do Iguaçu

Redação Tarobá News
Policial | Publicado em 22/05/2020 às 07:57

Foram alvos de buscas e apreensões feitas nesta sexta-feira (22), um ex-vereador de Foz do Iguaçu e o então assessor do parlamentar. Nas buscas foram apreendidos documentos, materiais de informática, celulares e outros elementos que podem servir como provas pra investigação.

As diligências de hoje buscam apurar possíveis crimes de corrupção passiva, organização criminosa, lavagem de dinheiro, dentre outros, os quais têm relação direta com a prisão em flagrante de um capitão da PM, ocorrida no fim do ano passado.

Em 28 de dezembro de 2019, o capitão, então coordenador operacional do núcleo do GAECO de Foz do Iguaçu foi flagrado, em Curitiba, recebendo dinheiro ilícito de um empresário que denunciou uma tentativa de extorsão. O empresário em questão, é ligado a empresa Energepar, que firmou contrato de mais de 10 milhões com a prefeitura de Foz do Iguaçu pra troca da iluminação pública, e foi alvo ontem de uma operação distinta deflagrada pela Polícia Civil.

Os mandados de busca e apreensão cumpridos nesta sexta-feira, foram expedidos pela Vara da Auditoria da Justiça Militar de Curitiba. Quem conduz as investigações em Foz do Iguaçu é o promotor Tiago Lisboa Mendonça. Essa é a segunda fase da operação chamada de Iscariotes, denominada assim, por fazer menção a um traidor, no caso o capitão do Gaeco preso quando o esquema foi descoberto.


Giulianne Kuiava



Relacionados

Londrina | 25-05-2020 19:46

Padrasto é preso suspeito de estuprar enteada em Londrina

Padrasto é preso suspeito de estuprar enteada em Londrina

Itaipulândia | 25-05-2020 18:03

Itaipulândia: BPFRON apreende 850 pacotes de cigarros contrabandeados

Itaipulândia: BPFRON apreende 850 pacotes de cigarros contrabandeados

Pato Branco | 25-05-2020 17:13

Homem é preso por tráfico de drogas em Pato Branco

Homem é preso por tráfico de drogas em Pato Branco

Fazenda Rio Grande | 25-05-2020 17:00

Com direito a grupo de pagode, festa clandestina termina em caso de polícia na RMC

Com direito a grupo de pagode, festa clandestina termina em caso de polícia na RMC