PM diz que incêndio na CIC foi retaliação do crime organizado

Redação Tarobá News
Policial | Publicado em 08/12/2018 às 15:52

Foto: Flávia Barros – Banda B

Em entrevista coletiva, no início da tarde deste sábado (8), o comando da Polícia Militar (PM) afirmou que o incêndio que começou no fim da noite de sexta-feira (7) na Invasão 29, na Vila Corbélia, Cidade Industrial de Curitiba, foi causado pelo crime organizado. De acordo com os policiais, houve uma retaliação ao fato de alguns moradores terem cooperado com os policiais, que fizeram uma operação no local após a morte do soldado Erick Norio, do 23° Batalhão da Polícia Militar (23°BPM), na madrugada anterior.

Segundo o coronel Péricles, comandante do 1° CRPM, há evidências da participação do crime organizado na morte do policial e no incêndio. “Por volta das 22h25, uma viatura nossa foi atender a um motorista do Uber, na região da invasão, que levou tiros no pescoço durante um assalto. Ele foi cercado por oito pessoas e baleado. Neste momento, nossa viatura no local percebeu uma casa em chamas. Em seguida, outros focos foram verificados. Nós estávamos lá garantindo a segurança física das pessoas. Aconteceu uma retaliação do crime organizado. porque a comunidade nos levou até a autoria do homicídio. As pessoas que não fazem parte do crime foram vítimas disto. 

Leia mais: Banda B



Relacionados

Londrina | 30-11-2018 18:01

Operário tem ferimento grave ao sofrer acidente de trabalho na Gleba Palhano

Operário tem ferimento grave ao sofrer acidente de trabalho na Gleba Palhano

Santa Terezinha de Itaipu | 30-11-2018 17:54

Polícia Civil incinera 870 kg de drogas e mercadorias

Polícia Civil incinera 870 kg de drogas e mercadorias

Campina da Lagoa | 30-11-2018 17:37

Adolescente de 12 anos morre após tomar vacina de tétano e polícia investiga em Campina da Lagoa

Adolescente de 12 anos morre após tomar vacina de tétano e polícia investiga em Campina da Lagoa

Nova Aurora | 30-11-2018 17:34

Promotoria denuncia professor que assediava alunas do ensino fundamental

Promotoria denuncia professor que assediava alunas do ensino fundamental

PUBLICIDADE