PM faz operação e cumpre mandados de busca em Ibiporã

Redação Tarobá News
Policial | Publicado em 07/02/2020 às 07:21

A Polícia Militar faz uma operação nesta sexta-feira (07) para tentar esclarecer crimes violentos, como homicídios em Ibiporã. Segundo a PM, esse é o principal fator de assassinatos, roubos e furtos em Londrina em cidades da região. Ao todo, sete mandados de busca e apreensão são cumpridos.

A Polícia busca armas, objetos ilícitos, materiais que possam servir de prova no esclarecimento de crimes violentos foram praticados na cidade ou em outras localidades e até foragidos da Justiça.

Esta é a segunda operação do ano realizada pelo 5º Batalhão de Londrina. Na manhã desta sexta-feira, os policiais partiram da sede na zona sul às 6h. O efetivo também contou com número maior de policiais do serviço reservado e Rotam. Ao todo, cerca de 50 policiais atuam na ação.

Além disso, policiais da Companhia de Choque deram apoio nos mandados de busca e apreensão. As ordens judiciais foram cumpridas em bairros onde, inclusive, aconteceram homicídios em Ibiporã.

Ibiporã começou o ano com um duplo homicídio que a polícia acredita estar relacionado a disputa pelo tráfico de drogas. Dois jovens foram executados no bairro do Vila Verde. Dias depois dois homens que seriam amigos das vítimas foram presos, inclusive, com uma submetralhadora, segundo um deles usada para a defesa.

(Com informações e imagens de Evandro Ribeiro)



Relacionados

Cascavel | 02-04-2020 16:10

PRF apreende 240 kg de maconha após perseguição na BR 163

PRF apreende 240 kg de maconha após perseguição na BR 163

Curitiba | 02-04-2020 12:06

Empresária é espancada por três homens em briga de trânsito

Empresária é espancada por três homens em briga de trânsito

Foz do Iguaçu | 02-04-2020 11:28

PRF informa que vídeo sobre manifestação na Ponte da Amizade é falso

PRF informa que vídeo sobre manifestação na Ponte da Amizade é falso

Francisco Beltrão | 02-04-2020 10:44

Detentos de Francisco Beltrão trabalham na confecção de jalecos e mascaras

Detentos de Francisco Beltrão trabalham na confecção de jalecos e mascaras

PUBLICIDADE