Linha 4

Publicidade

Polícia apreende veículo que teria sido utilizado em atentado a ônibus

Weslley Lemos

Carro no pátio da 10ª Subdivisão Policial. Foto: Tarobá

A Polícia Civil apreendeu um veículo que teria sido utilizado por criminosos no atentado contra um ônibus na zona norte de Londrina. O Monza foi localizado pelos policiais no jardim Primavera, na mesma região onde o coletivo foi incendiado. O carro tem placas da cidade de Primeiro de Maio e não tem alerta de furto ou roubo. Mas existe a suspeita que seria um automóvel "bambu", ou seja, estaria em mãos de terceiros. 

O carro foi encaminhado ao pátio da 10ª Subdivisão Policial e passou por análise de um papiloscopista para identificação de digitais e outras pistas. A polícia garante que já tem os nomes dos suspeitos e trabalha para encontrá-los. 

O atentado aconteceu na noite desta terça-feira (2) na rua Francisco de Assis Fernandes Ruiz, no conjunto Luiz de Sá. Três homens pararam o veículo, mandaram os passageiros e motorista descerem, jogaram gasolina e atearam fogo. O ônibus fazia a linha 406 - Aquilles Sthengel e era da empresa Transportes Coletivos Grande Londrina. 

Represália após confronto
O major Ricardo Eguedis, da 4ª Companhia Independente da Polícia Militar, classificou o ato como um atentado terrorista e informou em entrevista à Tarobá que foi um represália após a morte de Eder Leonardo Damasio Amador, de 26 anos, que era conhecido como Léo. 

Ele foi morto por uma equipe do Choque na manhã do mesmo dia do atentado. Léo foi atingido por um tiro na cabeça na avenida Gines Parra, no conjunto Maria Cecília. Segundo a versão da PM, não obedeceu ordem de parada e apontou uma arma na direção dos policiais. Um revólver calibre 38 foi apreendido dentro do veículo onde ele estava. O corpo foi sepultado no Cemitério Jardim da Saudade. 

COMENTÁRIOS

Publicidade