Linha 4

Publicidade

Polícia investiga caso de motorista queimado e não acredita em assalto

Redação Tarobá News

A polícia não acredita que o crime brutal que aconteceu na manhã desta sexta-feira (17) conta um motorista de aplicativo tenha sido tentativa de assalto. Ele teve o carro incendiado e 40% do corpo queimado por um passageiro, mas nada foi levado.

Segundo a PM, ainda não se sabe se o motorista foi acionado pelo aplicativo ou ofereceu carona ao suspeito. “A informação que nos foi trazida, por enquanto, é de que o motorista teria sido interpelado por alguém pedido auxílio. Ele teria prestado o auxílio e a pessoa ingressou no veículo com o galão de combustível, rendeu o motorista e foi acompanhado por mais um veículo com outra pessoa. Foram diretamente para o ponto onde o veículo foi incendiado, a pessoa despejou o combustível e, felizmente, apesar da gravidade, o motorista conseguiu sair do veículo e pedir socorro”, explicou o tenente-coronel Nelson Villa.

De acordo com o relato do motorista, identificado como Deverson Junior Gomes da Silva, de 31 anos, tudo começou na rua José da Silva, marginal da PR-445; Ele teria dado carona para um homem que carregava um galão de combustível. “É necessário que tiremos essas pessoas de circulação o quanto antes. Já estamos trabalhando para identificar os autores e responsabilizá-los”, disse o tenente-coronel.

A vítima continua internada e, apesar dos ferimentos, o quadro é considerado estável. A Polícia Civil vai investigar o caso e aguarda Deverson deixar o hospital para prestar depoimento.

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade

Nós usamos cookies teste site para lhe proporcionar a melhor experiência possível lembrando de preferências em visitas anteriores. Clicando em "Aceitar" você aceita o uso de cookies e nossos Termos de Uso.