Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Projeto vai inserir uso de drones no monitoramento de prisões

21/08/19 às 06:26 - Escrito por Redação Tarobá News

Monitorar e vigiar as unidades prisionais de forma segura, preservando ao máximo a integridade física do servidor e do apenado.

Este é um dos objetivos do projeto que vem sendo desenvolvido pela equipe do Setor de Operações Especiais - SOE, de Foz do Iguaçu, que visa inserir Aeronaves Remotamente Pilotadas (RPA) - popularmente conhecidas como “drones” - no monitoramento dos ambientes prisionais.

Conforme explica o agente penitenciário do SOE, Cristiano Aparecido de Sousa - que está à frente do projeto - a ideia surgiu tendo em vista que esta é uma tecnologia de baixo custo e de alta efetividade.

“O projeto piloto está iniciando em Foz do Iguaçu com o propósito de expansão para todo o Paraná, deixando o DEPEN/PR com um dos estados pioneiros no uso de Aeronaves Remotamente Pilotadas – RPAS, em prol a segurança pública”, destaca o agente.

Para o coordenador regional de Foz do Iguaçu, Marcos Marques, o uso dessa tecnologia será um grande aliado no controle, monitoramento e intervenção de situações que venham a ocorrer na área externa, das unidades penais.

“Com esses equipamentos teremos um controle geral da movimentação de carros, pessoas e até mesmo de ilícitos arremessados para o interior das unidades. É um ganho significativo para a segurança do ambiente penitenciário”, ressalta o coordenador


Implantação do projeto

A utilização de drones deve ser feita de forma consciente. Para isso existem regulamentos que tornam seu uso legal. A capacitação para formação de operadores - tanto para a pilotagem básica, quanto para a avançada - é fundamental no processo de implantação desta ferramenta.

Na última quarta-feira (14), o chefe da Divisão de Coordenação e Controle do Subdepartamento de Operações do DECEA, coronel aviador, Jorge Humberto Vargas Rainho, realizou uma apresentação na Base SOE/Foz do Iguaçu, com o propósito de mostrar a tecnologia e o caminho para que ela possa integrar a realidade do sistema penitenciário, e principalmente mostrar aos servidores da área a importância e eficácia do uso consciente de drones.  

Além da busca por informações e conhecimento técnico, a equipe SOE, de Foz do Iguaçu, está buscando meios para viabilizar a aquisição dos equipamentos, conforme as especificidades necessárias para o uso no ambiente prisional.


Ocorrência

Durante instrução do coronel aviador, Jorge Humberto Vargas Rainho, a equipe SOE foi acionada para sanar uma ocorrência na Cadeia Pública Laudemir Neves - CPLN, em Foz do Iguaçu.

Todo o procedimento teve o acompanhamento aéreo de drones, permitindo imagens geradas em tempo real, o que possibilitou que a equipe executasse os trabalhos sem nenhum risco à sua integridade física.


Capacitação IDESF

Visando adquirir conhecimentos técnicos para a implantação deste projeto nas unidades penais, o Depen participou, entre os dias 14 e 16 de agosto, em Foz do Iguaçu do curso sobre Legislação, Pilotagem e Manutenção de Aeronaves Remotamente Pilotadas, oferecido pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (IDESF).

O curso envolveu integrantes das instituições que atuam na segurança da tríplice-fronteira, entre eles, agentes da Receita Federal (RF), Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Exército, Ministério Público Estadual (MPE), Polícia Civil e Militar, Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron), Guarda Municipal, ICMBio e Itaipu Binacional. Os participantes tiveram a oportunidade de participar de aulas teóricas e práticas.

© Copyright 2022 Grupo Tarobá