Bolsonaro diz no Twitter esperar que PF tenha solução para o caso da facada

Estadão Conteúdo
Política | Publicado em 10/02/2019 às 15:55

O presidente Jair Bolsonaro pediu, em vídeo publicado em seu Twitter neste domingo, que a Polícia Federal acelere as investigações sobre a facada de que foi vítima ainda durante a campanha. Ele classificou o ocorrido como "ato terrorista" e pediu à polícia que "tenha uma solução para o caso nas próximas semanas", de forma a indicar quem foram os "responsáveis por determinar" que Adélio Bispo, autor da facada, cometesse o ato.

"Espero da nossa Polícia Federal, que nos orgulha a todos, que tenham uma solução para o nosso caso nas próximas semanas. Porque esse crime, essa tentativa de homicídio, esse ato terrorista praticado por um ex-integrante do PSOL, não pode ficar impune. Nós queremos e gostaríamos que a PF indicasse, obviamente com dados concretos, quem foi ou quem foram os responsáveis por determinar que o Adélio praticasse aquele crime lá em Juiz de Fora", disse.

Bolsonaro ainda lembrou que está há duas semanas no hospital Albert Einstein. "Sabemos que pouca gente pode ter tratamento como esse, mas temos plena consciência de que nosso SUS pode melhorar muito. Tudo faremos para que isso se torne realidade", disse.

Ele também agradeceu a seus ministros, que, segundo o presidente, têm demonstrado "grande capacidade de se antecipar a problemas" e "ajudado a conduzir o Brasil de forma muito convincente".



Relacionados

Política | 20-08-2019 13:40

Coaf no BC perderá 'composição e especialização', dizem peritos a Bolsonaro

Coaf no BC perderá 'composição e especialização', dizem peritos a Bolsonaro

Política | 20-08-2019 13:10

Doria apresenta Frota à bancada do PSDB na Câmara

Doria apresenta Frota à bancada do PSDB na Câmara

Política | 20-08-2019 12:15

Doria retruca Carlos Bolsonaro: assunto requentado, não há nada ilegal

Doria retruca Carlos Bolsonaro: assunto requentado, não há nada ilegal

Política | 20-08-2019 11:20

Fernández e Cristina Kirchner divulgam abaixo-assinado pela libertação de Lula

Fernández e Cristina Kirchner divulgam abaixo-assinado pela libertação de Lula

PUBLICIDADE