Bolsonaro diz que governo deve bloquear "merreca" de R$ 2,5 bi no Orçamento

Estadão Conteúdo
Política | Publicado em 20/07/2019 às 17:05

José Cruz/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado (20) que haverá um "novo corte" no Orçamento de R$ 2,5 bilhões. Segundo o presidente, o governo ainda está decidindo qual ministério terá suas despesas bloqueadas.

"Estamos no sufoco queremos evitar que o governo pare dado ao Orçamento nosso completamente comprometido. Deve ter um novo corte agora. O que deve acontecer, não quer dizer que vai acontecer. O novo corte agora é R$ 2,5 bilhões", disse o presidente na portaria do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República.

O Orçamento já está sob forte contingenciamento de R$ 30 bilhões. Esse bloqueio é feito como medida para que o governo cumpra a meta fiscal ao fim do ano. Este ano, a meta permite rombo de até R$ 139 bilhões.

"Uma merreca. Concorda que é uma merreca perto do orçamento trilionário nosso. É pouca coisa num Orçamento de trilhão. Dois bilhões e meio é pouco, o que estamos decidindo com a equipe econômica. Em vez de cortar de seis ou sete ministérios, todo mundo morrer, mata um ministério só. Estou sendo obrigado a decidir", afirmou.

Em maio, o governo anunciou um bloqueio de 30% no orçamento de todas as universidades e institutos federais. O bloqueio atingiu 3,4% do orçamento total das universidades, segundo o Ministério da Educação.

O Broadcast informou nesta semana que números preliminares analisados na reunião de quinta-feira, 18, da Junta de Execução Orçamentária (JEO), órgão que reúne Casa Civil e Ministério da Economia, apontam para a necessidade de corte entre R$ 2,3 bilhões e R$ 2,5 bilhões.

No entanto, havia intenção de não fazer o novo bloqueio e usar a reserva de contingência de R$ 1 bilhão, além do cancelamento de cerca de R$ 2 bilhões de despesas previstas no Orçamento para o pagamento do subsídio do diesel concedido pelo governo Michel Temer.

"O que está sendo estudado, que deve ser anunciado, é infelizmente daqui uns dias mais um corte. Caso contrário eu pedalo, entro na Lei de Responsabilidade Fiscal. É o impeachment contra mim", justificou o presidente.



Relacionados

Política | 21-08-2019 17:45

Alcolumbre: não tem muita gente votando contra Eduardo Bolsonaro, são 20 pessoas

Alcolumbre: não tem muita gente votando contra Eduardo Bolsonaro, são 20 pessoas

Curitiba | 21-08-2019 17:10

Governo indica novo diretor de regulação da Agepar

Governo indica novo diretor de regulação da Agepar

Curitiba | 21-08-2019 16:23

CCJ dá parecer favorável ao projeto que trata da reposição salarial dos servidores do Executivo

CCJ dá parecer favorável ao projeto que trata da reposição salarial dos servidores do Executivo

Curitiba | 21-08-2019 16:22

Assembleia Legislativa presta homenagem a soldados e ao Exército brasileiro

Assembleia Legislativa presta homenagem a soldados e ao Exército brasileiro