Comissão Especial do Comércio começa a discutir horário de funcionamento das lojas

Redação Tarobá News
Política | Publicado em 13/02/2020 às 12:13

Na tarde desta quarta-feira (12) foi realizada a reunião de instalação da Comissão Especial de Estudo e Análise do Horário de Funcionamento dos Estabelecimentos Localizados no Município de Londrina. Os vereadores integrantes decidiram convidar representantes da Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil), Sindicato do Comércio Varejista de Londrina (Sincoval) e Sindicato dos Empregados no Comércio de Londrina (Sindecolon) para participarem de encontros separados, na quarta-feira que vem (19), na sala de reuniões da Câmara Municipal de Londrina, nos seguintes horários:

13:30 – Acil
14:30 – Sincoval
15:30 – Sindecolon

A comissão especial também decidiu convidar um representante da Diretoria de Fiscalização da Secretaria de Fazenda, para participar das reuniões com todas as entidades. O  vereador Jamil Janene (PP), presidente da comissão, explica que as conversas separadas são para entender a realidade de cada setor envolvido no comércio. Posteriormente, o grupo pretende buscar exemplos de outras cidades do Brasil onde o comércio de rua atua em dois turnos de trabalho, permitindo um horário estendido de funcionamento. "Queremos ouvir as sugestões de cada um para depois buscar as informações de cada cidade que tem dois turnos no comércio, para elaborar uma proposta que venha gerar empregos e mexa na economia", argumenta.

A comissão especial foi criada no dia 19 de dezembro de 2019, na última sessão ordinária do ano. O grupo tem como presidente o vereador Jamil Janene (PP), relator Eduardo Tominaga (DEM) e membro Felipe Prochet (PSD). Os parlamentares têm 120 dias, a partir da criação, para apresentar relatório dos trabalhos, prorrogáveis por mais 60 dias.

Além do horário do comércio, a comissão especial discute soluções para a revitalização do Centro de Londrina, incluindo melhorias na iluminação e na segurança pública. Jamil Janene afirma que isso pode atrair novos consumidores para as lojas da região central, que – segundo ele – sofre uma forte concorrência dos shopping centers. "Se você andar no Centro vai ver que muitas lojas estão fechando. Muitos pontos para alugar, porque [a região] perdeu os consumidores, que estão preferindo os shoppings. De seis anos pra cá, abriram muitos na cidade e isso está afetando o Centro. A região grandes empresários que precisam de uma atenção especial e também funcionários que trabalham há muitos anos e que começaram a perder os empregos, porque estão faltando clientes e as vendas estão caindo", argumenta.

(com informações da Câmara)



Relacionados

Política | 04-07-2020 14:32

SP e Butantan têm 15 dias para explicar compra milionária de respiradores

SP e Butantan têm 15 dias para explicar compra milionária de respiradores

Política | 04-07-2020 10:35

Bolsonaro sobrevoa áreas afetadas por ciclone em SC

Bolsonaro sobrevoa áreas afetadas por ciclone em SC

Política | 04-07-2020 07:49

Moro critica Aras e teme 'revisionismo' da Lava Jato

Moro critica Aras e teme 'revisionismo' da Lava Jato

Política | 04-07-2020 07:49

Fórum discute ações do Estado para igualdade de gênero

Fórum discute ações do Estado para igualdade de gênero