Cunha presta depoimento amanhã em inquérito que investiga Temer

Estadão Conteúdo
Política | Publicado em 13/06/2017 às 19:40

O deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) vai prestar depoimento nesta quarta-feira, 14, no inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente Michel Temer após a delação dos empresários do Grupo J&F.

A oitiva está marcada para as 11h, na sede da Superintendência da Polícia Federal de Curitiba.

Em manifestação enviada ao STF, porém, a defesa do peemedebista pede para que o depoimento seja adiado, pois os elementos do inquérito "não são de pleno conhecimento" de Cunha.

Um eventual adiamento do depoimento depende do aval do relator do caso no Supremo, ministro Edson Fachin.

Gravação

Cunha, que está preso desde outubro em Curitiba, não é formalmente investigado no caso, mas foi citado na conversa entre o empresário Joesley Batista e Temer, que aconteceu no Palácio do Jaburu.

Na ocasião, o dono do frigorífico afirma havia "zerado as pendências" com Cunha. Joesley diz: "Eu tô de bem com o Eduardo".

O presidente, então, responde: "É, tem que manter isso, viu?".

A conversa foi gravada por Joesley e é contestada pela defesa de Temer. A perícia sobre a veracidade ainda não foi concluída pela PF.

Sobre Cunha, o empresário afirmou em sua delação premiada ter pago R$ 5 milhões após a prisão dele, em um "saldo de propina" remanescente que possuía.



Relacionados

Política | 21-01-2019 17:40

Comprador de imóvel de Flávio Bolsonaro confirma ter pago parte em dinheiro

Comprador de imóvel de Flávio Bolsonaro confirma ter pago parte em dinheiro

Política | 21-01-2019 15:40

Pelo Twitter, Renan diz que não tem intenção de ser presidente do Senado

Pelo Twitter, Renan diz que não tem intenção de ser presidente do Senado

Política | 21-01-2019 14:15

Justiça nega pedido de Robson Marinho para anular pontos da CNH

Justiça nega pedido de Robson Marinho para anular pontos da CNH

Política | 21-01-2019 14:00

Laudo da PF liga Palocci, Lobão e Delfim Netto a Belo Monte

Laudo da PF liga Palocci, Lobão e Delfim Netto a Belo Monte