Gleisi: absolvição no STF 'representa muito' para o PT e para julgamento de Lula

Estadão Conteúdo
Política | Publicado em 21/06/2018 às 15:25

Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), afirmou nesta quinta-feira, 21, que sua absolvição na Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) "recoloca as coisas no devido lugar" em relação às delações premiadas na Operação Lava Jato. Em entrevista coletiva em Curitiba, a senadora afirmou que o caso "representa muito" para o PT e para o julgamento do pedido de liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na próximo dia 26, no mesmo colegiado.

"Não só no caso do ex-presidente Lula, eu acho que em todos os casos que se baseiam em acusações apenas com delações", disse a petista. "A decisão do Supremo recoloca as coisas no devido lugar, as delações são indícios, mas não são suficientes para condenar uma pessoa." Ela reforçou que o partido espera que o ex-presidente possa sair da cadeia após análise do Supremo.

Comentando a possibilidade de a Procuradoria-Geral da República (PGR) recorrer da absolvição, Gleisi disse ser pouco provável que o Supremo queira julgar seu caso novamente. Sobre outros processos que a citam, ela afirmou estar com a mesma "tranquilidade e firmeza" da denúncia julgada nesta semana.

Desgaste

A presidente do PT disse que gostaria de cobrar do Ministério Público Federal um ressarcimento pelos danos à sua imagem que teriam sido causados durante o processo contra ela no STF. A dirigente petista afirmou, porém, que só poderia cobrar judicialmente do Estado brasileiro e não quer que o povo brasileiro pague a conta.

"Eu vou pensar muito nisso porque qualquer ação que se tome vai recair sobre o povo brasileiro, e eu não quero que o povo pague por isso."

A senadora reforçou sua intenção em ser candidata a deputada federal pelo Paraná para reforçar a bancada petista na Câmara a partir do ano que vem. Em relação ao seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, absolvido no mesmo processo, Gleisi disse que ele está aposentado e não pretende voltar à vida pública.



Relacionados

Política | 18-07-2018 19:43

Prefeito determina que CGM acompanhe caso de propina da SEMA

Prefeito determina que CGM acompanhe caso de propina da SEMA

Política | 18-07-2018 18:15

Presidente do STJ nega liberdade a Cunha no processo do Porto Maravilha

Presidente do STJ nega liberdade a Cunha no processo do Porto Maravilha

Política | 18-07-2018 17:55

Tribunal absolve André Vargas e seu irmão em ação por lavagem de dinheiro

Tribunal absolve André Vargas e seu irmão em ação por lavagem de dinheiro

Política | 18-07-2018 16:43

TSE vai fiscalizar uso de dinheiro vivo nas eleições

TSE vai fiscalizar uso de dinheiro vivo nas eleições

PUBLICIDADE