Governo brasileiro confirma que Battisti irá da Bolívia direto para a Itália

Estadão Conteúdo
Política | Publicado em 13/01/2019 às 19:00

Foto: Reprodução

Em nota conjunta dos ministérios das Relações Exteriores e da Justiça, o governo confirmou que Cesare Battisti irá da Bolívia direto para a Itália. A confirmação do trajeto põe fim a um guerra de versões sobre o que ocorreria com o italiano após sua prisão, na noite de sábado, 12, em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia.

"O governo brasileiro se congratula com as autoridades bolivianas e italianas e com a Interpol pelo desfecho da operação de prisão e retorno de Battisti à Itália. O importante é que Cesare Battisti responda pelos graves crimes que cometeu. O Brasil contribui assim para que se faça justiça", diz a nota divulgada no início da noite deste domingo, 13.

De acordo com a nota, o Brasil tentou "facilitar embarque pelo território nacional e devido à urgência foi encaminhada uma aeronave da Polícia Federal brasileira à Bolívia". Mas, continua a nota, "optou-se pelo envio direto do prisioneiro à Itália."

Na manhã deste domingo, após uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e os ministros Sergio Moro e Ernesto Araújo, o general Augusto Heleno disse a jornalistas que Battisti seria trazido para o Brasil para depois ser enviado à Itália.

Entretanto, poucas horas depois, por meio de redes sociais, o premiê italiano Giuseppe Conte afirmou que o translado seria feito direto da Bolívia para a Itália. Na nota, o governo brasileiro confirma a informação dos italianos e diz que Battisti irá cumprir sua pena de prisão perpétua.

"O terrorista Cesare Battisti retornará diretamente da Bolívia, onde foi preso na madrugada de hoje, para a Itália, onde começará a cumprir imediatamente a pena de prisão que lhe foi cominada pela Justiça italiana", diz a nota.



Relacionados

Política | 16-01-2019 16:50

Plano de Governo estará alinhado aos 17 princípios dos ODS

Plano de Governo estará alinhado aos 17 princípios dos ODS

Política | 16-01-2019 15:20

Ex-diretores da Odebrecht pedem perdão à Colômbia e vão pagar US$ 6,5 mi

Ex-diretores da Odebrecht pedem perdão à Colômbia e vão pagar US$ 6,5 mi

Política | 16-01-2019 15:00

No Twitter, Renan promete acionar Conselho do Ministério Público contra Dallagnol

No Twitter, Renan promete acionar Conselho do Ministério Público contra Dallagnol

Política | 16-01-2019 13:35

PSL entregará 54 votos à reeleição de Maia na Câmara, garante líder do partido

PSL entregará 54 votos à reeleição de Maia na Câmara, garante líder do partido