Hallberg vê erro de Paranhos na nomeação de Vander Piaia

Redação Tarobá News
Política | Publicado em 12/11/2019 às 11:41

Nem bem o prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos, esquentou cadeira acumulando a presidência da recém criada Transitar, e o vereador Fernando Hallberg (PDT), que já pediu na Justiça a cassação do alcaide, prepara mais uma denúncia contra o gestor. Hoje à tarde, na sessão da Câmara, o pedetista integrante da Comissão de Segurança Pública e Trânsito, fará encaminhamento sobre possíveis irregularidades na nomeação do liquidante da Cettrans, economista Vander Piaia, que já trabalha há dias na missão, com salário bruto de R$ 10 mil. 

Hallberg aponta evidências de que Paranhos  pode ter cometido 'improbidade', ao não seguir a legislação, quando nomeou Piaia. Ele pedirá esclarecimentos ao chefe do Executivo, requerendo,  através da Comissão,  comprovação de que houve a deliberação obrigatória do Conselho Administrativo da Cettrans, quanto à contratação do liquidante. Informações chegadas até Hallberg apontam a não convocação  dos conselheiros, deixados à margem do processo.

Segundo o parlamentar, existem rumores de que a direção da Transitar, agora sob a presidência temporária de Paranhos, estaria tentando colher assinaturas e forjar ata com data retroativa. "Não estamos acusando ninguém,  mas é preciso tirar tudo a limpo",  enfatiza. Os outros dois integrantes da Comissão são o tucano Pedro Sampaio (PSDB) e Policial Madril (PMB).



Relacionados

Política | 04-07-2020 14:32

SP e Butantan têm 15 dias para explicar compra milionária de respiradores

SP e Butantan têm 15 dias para explicar compra milionária de respiradores

Política | 04-07-2020 10:35

Bolsonaro sobrevoa áreas afetadas por ciclone em SC

Bolsonaro sobrevoa áreas afetadas por ciclone em SC

Política | 04-07-2020 07:49

Moro critica Aras e teme 'revisionismo' da Lava Jato

Moro critica Aras e teme 'revisionismo' da Lava Jato

Política | 04-07-2020 07:49

Fórum discute ações do Estado para igualdade de gênero

Fórum discute ações do Estado para igualdade de gênero