Marco Aurélio diz que só vai analisar denúncia de Aécio após julgar recursos

Redação Tarobá News
Política | Publicado em 02/06/2017 às 22:10

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou em despacho publicado nesta sexta-feira, 2, que só vai analisar a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), após julgar os recursos apresentados pela defesa do tucano e dos três presos na investigação - a irmã dele, Andrea Neves, o primo Frederico Pacheco e o assessor parlamentar Mendherson Lima.

Os três querem a revogação da prisão preventiva determinada pelo ministro Edson Fachin, que era o relator do inquérito, enquanto Aécio pede a revogação do afastamento do Senado também determinada pelo relator da Lava Jato.

Mais cedo, no entanto, Marco Aurélio havia pedido para a Procuradoria-Geral da República se manifestar "urgentemente" sobre os pedidos das defesas. Somente após isso acontecer, ele vai levar os recursos para julgamento na Primeira Turma do Supremo, da qual faz parte.

Nesta sexta, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou denúncia contra Aécio, Andrea, Frederico e Mendherson por corrupção passiva. O tucano também é acusado de obstrução da Justiça para tentar impedir o avanço da Operação Lava Jato. Após a PGR apresentar a denúncia, cabe ao ministro relator notificar os acusados, que terão 15 dias para apresentar suas defesas prévias. (Isadora Peron e Breno Pires)



Relacionados

Política | 21-02-2019 10:40

Governo cria canal para nomeações no segundo escalão

Governo cria canal para nomeações no segundo escalão

Política | 21-02-2019 10:10

No STF, Fachin nega mais um pedido de liberdade de Lula

No STF, Fachin nega mais um pedido de liberdade de Lula

Ibiporã | 21-02-2019 08:33

Ibiporã: Carnês do IPTU começam a ser entregues nesta quinta-feira

Ibiporã: Carnês do IPTU começam a ser entregues nesta quinta-feira

Política | 21-02-2019 08:15

Tribunal da Lava Jato nega pedido de novo interrogatório de Eduardo Cunha

Tribunal da Lava Jato nega pedido de novo interrogatório de Eduardo Cunha